Colin Fischer - Ashley Edward Miller e Zack Stentz

Resolvendo o crime. Uma expressão facial por vez. O ano letivo de Colin Fischer acabou de começar. Ele tem cartões de memorização com expressões faciais legendadas, um desconcertante conhecimento sobre genética e cinema clássico e um caderno surrado e cheio de orelhas, que usa para registrar suas experiências com a MUITO INTERESSANTE população local.
Quando um revólver dispara na cantina, interrompendo a festinha de aniversário de uma das garotas, Colin é o único que pode investigar o caso. Está em suas mãos provar que não foi Wayne Connelly, justamente aquele que mais o atormenta, que trouxe a arma para a escola.
Afinal de contas, a arma estava suja de glacê, e Wayne não estava com os dedos sujos de glacê…
MILLER, Ashley Edward. STENTZ, Zack. Colin Fischer. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2014. 174 p.


Colin Fischer sempre foi um livro que me despertou muita atenção. Não sei ao certo a razão, visto que não possui um enredo verdadeiramente inovador ou algo do tipo. Só sei que a obra sempre me atraiu e quando a peguei, fui bem animada para lê-la.

Colin Fischer é um garoto extremamente inteligente, mas com muitos problemas sociais. O garoto de 14 anos acaba de entrar no Ensino Médio e simplesmente não suporta ser tocado, nem mesmo por seus pais. Diagnosticado com Síndrome de Asperger, Colin tem dificuldade em reconhecer as expressões faciais das pessoas e de se  relacionar com os demais, assim como um QI bem acima da média.

O ano letivo mal começou e as coisas já estão bem agitados em seu colégio. Uma arma dispara misteriosamente no refeitório, suja de glacê. Ninguém sabe verdadeiramente de onde veio ou para onde se direcionou, mas Colin está determinado a provar que Wayne Connelly, justamente o garoto que mais o persegue, é inocente.

“Às vezes, obtemos respostas a perguntas que nunca pensamos fazer. E, às vezes, as respostas nos fazem desejar nunca ter feito as perguntas, em primeiro lugar.”

O enredo do livro, apesar de não tão inovador ao tratar de garotos com problemas sociais, tem uma "pegada" bem curiosa. Gostei do enredo em si, mas senti falta de um bom desenvolvimento para este enredo. A trama não é complexa nem cheia de reviravoltas, mas há o mistério por trás do disparo, que para mim infelizmente deixou a desejar. A sinopse sugere uma investigação "intensa" em relação ao tiro no refeitório, mas eu particularmente não senti e não vivi o mistério que parece direcionar o livro.

A história é narrada em terceira pessoa, mas com pontuais narrações do próprio Fischer a cada início de capítulo. Foi interessante acompanhar essa parte narrada em primeira pessoa, visto que ela traz explicações e informações riquíssimas sobre diversas coisas - que geralmente têm ligação com o momento vivido na história.

Entretanto, ainda que a leitura não tenha se desenrolado de uma maneira particularmente envolvente, gostei das sacadas irônicas e impassíveis de Colin. Ele é um protagonista diferente e cheio de manias e isso acaba afastando muito as pessoas, que assim se acham no direito de perturbá-lo simplesmente por ser quem é. A família de Colin é extremamente madura e atenciosa com o filho, eles lidam com as situações embaraçosas de uma maneira muito natural e amável. Eu realmente gostei muito do apoio da família e da forma como eles encaram o preconceito alheio.

"A Sra. Fischer não costumava discutir, e seus olhos de repente semicerrados e desconfiados indicavam que não estava com disposição para aceitar essa provocação no momento. Certa vez, Colin mencionara a Marie que essa expressão que a mãe costumava exibir, e ela concordara que não correspondia perfeitamente a nenhuma das que ele desenhara em sua folha de anotações. Eles decidiram apelidá-la de CARA DA MAMÃE. O apelido pegara"


O final definitivamente me conquistou (e surpreendeu). Deixou uma ponta solta, e indícios de um novo mistério, então há um gancho para uma possível continuação - que eu espero que ocorra.

Ainda que a narrativa e construção do desenvolvimento não tenham me agradado tanto, vale ressaltar que Colin Fischer é uma leitura muito interessante. A obra é curtinha e de rápida leitura, e provavelmente vai conquistar vários corações, tenho certeza ;)
Sofia
Sofia

Geminiana de 13/06/00, blogueira no Lendo de Tudo e (completamente) apaixonada por livros. Sejam eles fictícios ou verídicos, românticos ou terror. Mas incondicionalmente fã de J.K. Rowling, Rick Riordan e Agatha Christie. Indecisa, - mas também determinada (como assim, ué?)- casada com o teatro, amante dos livros, sofro de sinceridade aguda.

3 comentários:

  1. OI Soso
    Ainda não tinha me despertado vontade de ler este livro, apesar da capa sempre me deixar curiosa.
    Achei muito interessante a premissa dele, fiquei com vontade de ler.

    Beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Sofia =)
    Esse é um livro que também me desperta curiosidade, mas ainda não li, esse mistério que gira em torno do livro espero que seja muito bom... sua resenha me despertou uma vontade repentina de conhecer Colin, quem sabe eu leia esse livro logo.
    Parabéns pela resenha.

    BeijOs e tenha um ótimo final de semana.
    @jannagranado
    @lpdiversao
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Colin me pareceu um personagem carismático e acredito que a autora segui essa deixa pra desenvolver uma história leal, bacana de acompanhar. tem seus erros, como a falta desse suspense a mais, as vezes a gente uma sinopse tão "wow!" que acaba meio que se decepcionando quando lê, mas acho que outros do livro deram o equilíbrio para ser uma leitura divertida. não gosto da capa =/ enfim se der pra ler, eu leio com certeza!

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.