Coração de Aço - Brandon Sanderson

Sinopse: Tudo começou com Calamidade, que surgiu nos céus como uma estrela de fogo, e que ninguém sabe o que é realmente: seria algo alienígena, ou então um experimento do exército norte-americano? Seus efeitos, entretanto, podem ser sentidos algum tempo após seu surgimento: pessoas comuns passam a ter poderes que desafiam as leis da física e da lógica. Parece que uma nova era está para surgir. E surge: os nomeados Épicos não apenas se tornam poderosos, mas também ganham uma sede insaciável de poder e parecem perder toda sua humanidade no processo, deixando o resto da população à mercê de suas vontades e caprichos. (Skoob)
SANDERSON, Brandon.Coração de Aço. Editora Aleph, 2016. 392p.


Não li a maioria das distopias existentes no mercado, então não sei se alguma delas chega a levantar a questão que mais me chamou a atenção em Coração de Aço. Nova Chicago é dominada por um homem dotado de poderes quase divinos, como imortalidade, capacidade de voar, força, raios de energia, que solta pelas mãos, e a capacidade de transformar qualquer matéria sem vida em aço. Além dele, existem ainda outros épicos (essas pessoas especiais dotadas de poderes), que o ajudam nessa tirania. Mas, apesar de sua ordem ser mantida através de mortes, medo, opressão, ela é melhor do que os outros lugares do mundo, onde a carnificina é maior e sem limites.


Então, a pergunta que o livro faz, é o que seria melhor? Deixar Coração de Aço continuar a governar, ou matá-lo, deixando a cidade à mercê dos outros épicos, que poderiam ser bem piores? O remédio não seria pior que a doença?

O próprio livro dá a resposta a essa pergunta, quase no final, através de uma constatação filosófica feita por David, o personagem principal. E, apenas por essa reflexão, a leitura já vale muito a pena.

Mas tem outras coisas que agradam em Coração de Aço. As lutas entre o grupo de executores, formado por pessoas normais, contra os épicos, é descrita de forma emocionante e, na maioria das vezes, com um desfecho que surpreende. Isso, porque os executores precisam de mais do que armas e coragem, eles precisam pensar, planejar, pesquisar e encontrar qual é o ponto fraco de cada épico, para terem uma chance de vencer.


David é um adolescente de dezoito anos que, por incrível que pareça, representa o que realmente é um garoto nessa idade: convencido, irritante, inconsequente, determinado, cheio de hormônios, que fazem com que, no meio de uma batalha, ele pense na garota gostosa por quem se apaixonou. Ele é tão chato, que fica ótimo!

Megan também representa o que é uma garota na mesma idade de David. Apesar de gostar dele, ela finge que não, mantém aquele olhar superior e não dá o braço a torcer, menos naquelas situações que se esquece de levantar o muro e deixa escapar um sorriso.

Megan e David formam um casal cheio das verdades que encontramos nos adolescentes reais, só que em um mundo onde eles precisam enfrentar seres que matam com um piscar de olhos. A química entre eles funciona, ainda mais para o final da história, quando cada um deles já consegue compreender a motivação do outro. Sem mencionar uma surpresa deixada para as últimas páginas, que leva a relação a um novo patamar de dramaticidade, e que deixa o leitor ansioso para o volume seguinte, onde, pelo título, fica evidente de quem é o foco. Ops, spoiler (que você só vai perceber depois de ler o livro, então sossegue)!


Thia, Cody, Abraham, Prof, enfim, cada um dos personagens secundários tem sua importância e sua função dentro da história. Não estão lá apenas de forma figurativa. O Prof é o que mais tem participação nos eventos, e é o que carrega um volume maior de mistérios. Mais até que Coração de Aço. Ele foi o criador de quase todas as armas que os executores utilizam, inclusive uma luva incrível que consegue vaporizar qualquer material. Mas ninguém sabe como, ou quando, ele fez isso. O único que parece conhecer alguma coisa, é Abraham, mas ele se mantém tão fechado, quanto o próprio Prof.

As partes em que a equipe atua junto, funcionam muito bem, e o autor consegue deixar a narrativa clara o suficiente para o leitor não se perder no meio da ação. David atua sempre ao lado de Megan, apoiados por Abraham e Cody, com suporte à distância por Thia e Prof. As conversas entre eles durante os ataques é gostosa de acompanhar.

Mas da mesma forma que existem muitas coisas boas em CORAÇÃO DE AÇO, também existem algumas que poderiam ser melhores. A diversidade de poderes em um mesmo épico, em alguns casos, fica excessivo. E o ponto fraco deles é expansivo demais, uma vez que pode ser qualquer coisa, o que remove a lógica que poderia existir entre os poderes. Uma das regras de ouro que existe nos quadrinhos, é que cada herói, ou vilão, tem suas fraquezas proporcionais aos seus poderes, ou ao seu passado. Não são fraquezas aleatórias, e isso enfraquece um pouco a credibilidade ficcional em Coração de Aço.


Um outro problema é em relação aos épicos em si. Eles são todos poderosos, mas na hora de agirem, são incompetentes. Demoram demais. Na verdade, nem considero isso um problema, ou defeito, uma vez que a maioria dos filmes de ação, e de super-heróis, sofre do mesmo. É necessário existir um delay nas ações dos vilões, para que os heróis mais fracos possam agir e vencer. Ou seja, é um recurso narrativo recorrente.

Também existe uma certa barriguinha em alguns capítulos. Embora nenhum deles tenha um papel de enrolar, uma vez que todos trazem algum evento, ou informação, que será necessário mais adiante, por vezes as conversas se inclinam para um lado que não avança, como aquele papo jogado fora na porta do colégio que não interessa a ninguém.

Tirando isso, que é bem pouco e não afeta em nada a qualidade da obra, Coração de Aço é empolgante o suficiente para agradar os fãs de quadrinhos, por exemplo, bem como aqueles que gostam de livros de ação, com uma dose de romance adolescente, com mistérios e surpresas. Uma ótima pedida para dias monótonos!
Carlos H. Barros
Carlos H. Barros

Carlos tem várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamenta o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco -, e não saber desenhar. Autor também do blog Gettub

12 comentários:

  1. Olá! Curto muito quadrinhos e esse universo de super heróis, essa resenha me deixou bem interessada em conferi isso tudo que foi dito aqui.

    ResponderExcluir
  2. Oii Carl!
    Já tinha lido resenha do livro, gostei bastante, estou me interessando mto por esse gênero.
    Já está na minha listinha e do maridão tbm...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Já tinha lido a algumas resenhas e me interessou bastante, toda a mistura de super heróis toda a ação encontrada como nas Historias em quadrinhos, para quem aprecia e curte heróis acho que o livro seria uma excelente dica.
    Até mais!!!

    ResponderExcluir
  4. Muito ansiosa para a leitura depois dessa resenha. Quero ler mais sobre
    Megan e David. òtima resenha..!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Carl!

    Quanto ao livro, bom ver um quadrinho/livro com ideia inovadora, embora seja um adolescente sem grandes atrativos, porém com uma força grande por causa do desejo de vingança.
    A aboradgem dada é perfeita, porque a união de todos que tem poderes para tentar resolver uma problemárica, é incrível, mostra o quanto a união faz a foraç.
    “A amizade, depois da sabedoria, é a mais bela dádiva feita aos homens.” (François La Rochefoucauld)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá Carl!
    Eu não sou muito acostumada a ler quadrinhos, mas eu estou nessa onde de saber mais sobre esses personagens. Eu não gosto muito de super heróis :/ gosto de mais de heróis por que traz um realidade com a qual eu consiga imaginar, sabe. Batman preferido forever <3 Só que eu gostei de coração de aço. Vou dar uma chance. Obrigada pela dica :)

    ResponderExcluir
  7. Já tinha lido uma resenha falando bem de Coração de Aço e coloquei na minha lista, infelizmente ainda não o consegui, depois de ler a sua resenha tenho ainda mais certeza que quero ler, e saber qual sera o final. Outra coisa que gostei foi a capa, achei bem legal e como adoro super heróis não vou deixar de adquirir esse.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Carl!!
    Fiquei bem curiosa para ler esse livro!! Adorei a edição ficou maravilhosa!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  9. Como sou fã de ação e mistério então já fiquei interessada, parece ser uma leitura que envolve o leitor até a última página mesmo com esses pequenos contras, para quem gosta dos heróis vale a pena. Achei a capa muito bacana.

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Já tinha lido uma resenha sobre esse livro é achei bem interessante a história, a trama de como é abordado. É incrível de como o autor mistura mistério com ação, fantasia, achei super legal isso.
    O livro já está na minha lista de leitura!

    ResponderExcluir
  11. Não sou muito ligada em histórias de super-heróis,l. Achei o enredo e a forma como os poderes foram desenvolvidos e utilizados interessante. Gostei da capa do livro.

    ResponderExcluir
  12. Ainda não conhecia o livro, mas como adoro quadrinhos, gostei de conferir a resenha e ainda entender um pouquinho sobre a criação dos super-heróis como a proporcionalidade de poderes e fraquezas. Esse delay muitas vezes é chato mesmo e me incomoda também.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.