Sociedade J. M. Barrie - Barbara J. Zitwer

Sinopse: Após passar por altos e baixos na vida, Joey ­finalmente tem uma grande oportunidade: a empresa de arquitetura onde trabalha decidiu mandá-la para Inglaterra para supervisionar a restauração de uma antiga casa. A Stanway House é o lugar onde J. M. Barrie teria escrito Peter Pan, o livro favorito de Joey. Entretanto, a tarefa se mostra mais difícil do que ela imaginava. Até que um dia, enquanto corria pelo parque, Joey conhece um grupo de alegres octogenárias. Elas são membros da Sociedade de Natação de Senhoras J.M. Barrie. O desafio delas é nadar nas águas geladas do lago. A cada dia de Natal, desde 1864, os membros da Sociedade fazem uma competição ao ar livre. J.M. Barrie era o patrono e deu aos participantes um troféu, agora conhecido como Troféu Peter Pan. Essa sociedade, adorável e divertida, transforma a vida de Joey, e marca o início de uma amizade que a mudará de maneira inesperada. Encontrar o amor é muitas vezes apenas um mergulho em nós mesmos. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora
Zitwer, Barbara J. Sociedade J. M. Barrie. Novo Conceito, 2017. 288p.


Joey é o tipo de personagem que ou você ama ou odeia com todas as forças. Eu dei sorte de ter me encaixado na primeira opção, mas não posso negar que aceitar o ponto de vista dela durante toda a história foi um pouco difícil. Veja bem, ela não acredita mais no amor devido as várias decepções que teve durante a vida, seja num relacionamento amoroso, seja entre familiares e até mesmo entre amigos. Isso a torna fria, um pouco cínica e solitária. Ela aprendeu a ser uma pessoa sozinha e a não depender física e emocionalmente de outras pessoas por medo de se magoar.

Ao se mudar para a Stanway House, seu mais novo projeto de trabalho conseguido com muitas noites em claro e extrema dedicação, Joey precisa se reaproximar de uma velha amiga dos tempos de escola da qual se afastou e ainda guarda muitas mágoas e ressentimentos. Confesso que em minha opinião esse foi um dos pontos altos da história. Ver essas duas mulheres que um dia foram tão unidas se reencontrarem como completas estranhas tantos anos depois. A autora conseguiu passar tão bem o sentimento de frustração que ambas sentiam por não mais saber o que uma pensava sobre a outra, que foi impossível não sentir empatia por toda a situação que se apresentava na vida delas.

Outro ponto alto da história não poderia deixar de ser as mulheres que fazem parte da Sociedade J.M Barrie. Somos apresentados a senhoras maravilhosas, que escolheram permanecer unidas ao longo dos anos em nome da amizade. Cada uma delas possui uma história de vida marcada por muitos altos e baixos, mas aprenderam com o tempo a levar uma vida de união e tranquilidade sabendo que sempre poderiam contar umas com as outras.

“Se fechar os olhos e for uma pessoa de sorte, disse o nosso amado senhor Barrie, deve ver as vezes um lago sem forma, de incríveis cores claras, suspenso na escuridão; então, se olhar bem, o lago começará a ter forma, e as cores ficarão tão vivas que, se olhar bem de novo, devem estar pegando fogo. Tenho certeza de que ele falava do nosso lago. Porque nós somos pessoas de sorte. Nós temos umas às outras.”

Infelizmente eu senti muita falta do ponto principal do livro: a reforma da Stanway House e sua relação com J.M Barrie, autor do livro Peter Pan. A casa ficou apenas como um pano de fundo durante toda leitura e acredito que todo potencial que tinha ao longo da história não foi desenvolvido. Sua reforma era mencionada apenas com o intuito de aproximar Joey do seu possível romance na história e o livro termina sem que a gente tenha ideia se o projeto final deu certo ou não. Uma pena!

Sociedade J. M Barrie nos faz relembrar da importância que família e amigos têm em construir quem realmente somos por dentro. Um livro curto, mas que vai direto ao ponto ao falar sobre relacionamentos, sobre a essência do ser humano e sobre as reviravoltas que a vida nos apresenta com o passar dos anos.

Dé Lima
Dé Lima

Meu nome é Débora, mas pode me chamar de Dé. Minha vida é cheia de livros, provas para concursos, doramas coreanos, turismo pela minha cidade, rock n´roll, felinos, moda vintage e café amargo. Tenho muitos planos de conhecer os lugares pelos quais já viajei através dos livros, mas o que eu queria mesmo era sair correndo pelo Louvre.

8 comentários:

  1. Não conhecia esse livro, essa é a primeira resenha dele que vejo dele e me deixou bastante curiosa em conferi essa história que parece bem interessante.

    ResponderExcluir
  2. Dé!
    Gosto de livros que trazem essa abordagem sobre o drama pessoal, onde temos que procurar nossos objetivos de vida e o que nos faz mais feliz.
    E se ainda traz um romance e senhorinhas que tem grande vitalidade e aproveitam intensamente seus momentos, deve ser uma leitura hilária também.
    “Como eu não tenho o dom de ler pensamentos, eu me preocupo somente em ser amigo e não saber quem é inimigo. Pois assim, eu consigo apertar a mão de quem me odeia e ajudar a quem não faria por mim o mesmo.” (Desconhecido)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Dé!
    Eu gosto de Peter Pan e pensei que o livro abordasse a história de uma outra forma. Que pena que a autora não aproveitou o cenário :/
    Acho que a Joey evolui como personagem e aprende muitas coisas.
    Adorei a abordagem das senhorinhas, a amizade que uniu elas deve ser muito linda!
    Pretendo ler em breve.

    ResponderExcluir
  4. Olá Dé!
    Eu já tinha ouvido flar desse livro, e desde então tenho mto interesse em ler e conhecer mais esse enredo que tá bem bacana...
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  5. Bom ver como foi o reencontro entre duas pessoas que se distanciaram e buscam formas de reaproximação. Não tinha visto resenha deste livro ainda. Parabéns pela sua.
    ronida_sindi@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. Apesar de não ter focado no ponto principal quero ler, parece mostrar a importancia da amizade, deve nos deixar refletindo sobre isso. E saber mais sobre a sociedade que parece fazer muito bem aos personagens.

    ResponderExcluir
  7. Como sou a louca que se aventura em gêneros diferentes, acho que ia gostar de conhecer esse daí! Ainda não conhecia esse livro e sua resenha me deixou completamente encantada por ele. Já estou colocando na minha meta de leitura e parece ser uma leitura bem leve

    ResponderExcluir
  8. Oi Dé!!!
    A capa do livro é maravilhosa, e eu fiquei me perguntando quando vi a foto: "O que Peter Pan tem haver com tudo isso??" aí a sinopse explica, uma pena que no livro ficou tão vago isso.
    Mas tipo é um livro de aventuras interessante e que teria que pensar muito se me agradaria, pois sou um porre com algumas leituras rsrsrs
    De todo caso ficou maravilhosa sua resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.