Eu Estou Aqui - Clélie Avit

 No cenário frio e asséptico de um hospital surge a paixão entre Elsa, uma montanhista em coma há cinco meses depois de cair durante uma escalada, e Thibault, que se refugia no quarto da moça, por não querer visitar o irmão, o motorista bêbado que causou a morte de duas adolescentes num acidente automobilístico.
Delicadamente composto, o romance mostra o envolvimento gradual entre dois personagens cuja comunicação se dá instintivamente. Enquanto Thibault pode conversar e incentivar Elsa a retomar o domínio de suas ações, a jovem ouve, percebe e sente toques em seu corpo, mas não tem como comunicar seus desejos e anseios. Os dois passam a se conhecer tanto pelo que transmitem um ao outro – Thibault em suas confidências, Elsa tentando demonstrar que corresponde a seus estímulos – quanto pelo que os amigos da montanhista comentam a respeito do rapaz ou falam a ele sobre Elsa. Junto da moça em coma, Thibault sente-se tranquilo e protegido da revolta contra o irmão, internado em estado grave no mesmo hospital. Elsa, embora cercada pela família e por amigos, se entusiasma com a ousadia de Thibault, que não se acanha em beijá-la. E quando os parentes discutem a possibilidade de desligar os aparelhos que a mantêm viva, é com ele que Elsa conta para lutar por sua própria sobrevivência.
Narrado em primeira pessoa, alternando os relatos dos dois protagonistas, Clélie Avit consegue abordar problemas universais e atuais, como eutanásia, violência no trânsito e alcoolismo. As novas famílias urbanas também se superpõem aos laços biológicos. Thibault acompanha a mãe ao hospital, mas se recusa a enfrentar a situação do irmão, à beira da morte por um desastre causado por irresponsabilidade.
AVIT, Clélie. Eu Estou Aqui. Editora Fábrica 231, 2016. 288p.


Elsa está em coma há cerca de cinco meses devido a um acidente causado ao praticar montanhismo. Thibault vai ao hospital por causa de seu irmão que está internado. Em uma dessas visitas, ele erra a porta e acaba entrando no quarto de Elsa. Então ele decide conversar com a moça, mesmo percebendo que ela está inconsciente.

Essas visitas se tornam cada vez mais frequentes, já que Thibault vai ao menos uma vez por semana acompanhar sua mãe - Ele só vai ao hospital por causa dela, já que não consegue perdoar seu irmão e não quer vê-lo. No quarto de Elsa, Thibault encontra paz. Ele conversa com a moça e até dorme um pouco, mas o que ninguém sabe, é que Elsa consegue ouvir tudo ao seu redor. Porém, após algumas visitas Thibault tem certeza que Elsa consegue mesmo ouvi-lo.

Uma paixão delicada e perigosa surge entre os dois, já que Thibault não sabe se Elsa vai acordar ou se é recíproca. Mesmo assim ele continua fazendo as visitas, com esperança de que a moça acorde e diga que sente o mesmo.

Gostei bastante dos capítulos narrados por Elsa. Apesar de ficar um pouco agoniada com a situação, pois a moça estava presa naquela cama e não conseguindo fazer outra coisa além de ouvir. Ela identificava até mesmo os sons mais baixinhos. Além disso, os sons possibilitaram que sua imaginação fluísse melhor, podendo assim criar as cenas ao seu redor. Suas visitas ganharam cores, que eram atribuídas de acordo com a percepção de seus sentidos. Durante a leitura podemos sentir sua dor ao ouvir os médicos dizendo que suas chances de despertar eram quase nulas e até sua família já não tinha mais esperanças.

Thibault foi um personagem bem confuso para mim. Em certos momentos ele era delicado e até consegui sentir um pouco de afeto por ele. Já em outros, ele se tornava um tanto rancoroso e desbocado, até fez uma cena bem grosseira num bar onde costumava ir. Não foi um personagem que me agradou, mas ainda assim, torci para que ele tivesse um final feliz.

Eu nunca pesquisei nada sobre coma, mas no livro, Elsa estava neste estado cerca de cinco meses e já havia a possibilidade de ser "desligada". Foi um choque pra mim, pois cinco meses é pouco tempo para decidir uma coisa dessas. Na verdade, não sei se há um tempo certo nestes casos e isto é uma coisa de se pensar. Também não sei se este caso se enquadra exatamente na eutanásia, já que a paciente não estava teoricamente sofrendo (não sentia dor). Mas ela não conseguia sobreviver sem a ajuda de aparelhos, o que  pesou muito no pensamento desta possibilidade.

Outro tema abordado no livro é o alcoolismo. O irmão de Thibault matou duas garotas por estar dirigindo bêbado e durante toda a trama este tema corrói os personagens. Isto mostra que não foi só as garotas e suas famílias foram destruídas, mas a do condutor também. Fiquei com tanta pena da mãe de Thibault, que tentava de todas as formas aproximar os irmãos, mas sem sucesso.


Mesmo com esses temas fortes, ainda há um espacinho para um relacionamento amoroso, ou quase isso. Thibault estava se apaixonando por uma completa desconhecida que estava em coma e Elsa, se apaixonando por um desconhecido, sem saber se teria a oportunidade de um dia olhá-lo nos olhos. Mas é tudo tão sutil, que algumas pessoas podem se decepcionar. Creio que se a autora aprofundasse um pouco mais os sentimentos dos personagens, o livro seria mais emocionante. Os personagens secundários não receberam muito destaque na obra, o foco ficou mais entre os protagonistas mesmo. Parece que os secundários só estavam ali para preencher espaços entre os dias de Thibault fora do hospital.

O livro é bem fluido, os capítulos são curtos, revezados entre Elsa e Thibault. A linguagem utilizada é bem simples e encontramos muitos diálogos, o que torna o livro ainda mais rápido. Apesar da estranheza da situação (não é sempre que um homem entrar num quarto de uma mulher em coma e se apaixonar por ela), decidi abandonar a lógica e desfrutar da leitura da melhor maneira possível.  Não foi uma leitura que me agradou totalmente, mas fiquei ansiosa para descobrir o que estava por vir.
Thuanne Souza
Thuanne Souza

Paulista, 22 anos, assistente administrativa e estudante de Farmácia ❤ Sempre tentando ser alguém melhor e seguindo o lema “levo a vida devagar pra não faltar amor”. Apaixonada por músicas (principalmente as nacionais) e livros. Aprendendo a gostar de outros gêneros, além dos romances clichês.

17 comentários:

  1. Olá Thuanne! Realmente para desfrutar melhor da leitura devemos esquecer um pouco da lógica, já que a situação não é nem um pouco recorrente. Gostei dos temas abordados pela autora, são fora do comum e o romance é fofo e surge gradativamente. Acho que as visitas do rapaz encorajavam a moça a continuar lutando pela vida. Essa questão da eutanásia é muito polêmica, também não foço a menor ideia de após quanto tempo o procedimento pode ser feito mas acredito que seja mais do que cinco meses. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Thuanne. Nossa, gostei muito desse livro! 💜 Gostei da forma que o romance foi desenvolvido... de uma forma diferente! E no final, é claro, eu parecia uma cachoeira jorrando água sem parar! É uma história linda, pena que é um livro tão curtinho, eu queria saber um pouco mais, sobre o que acontece depois...

    ResponderExcluir
  3. Tem aí uma historia bem interessante e forte nesse livro. Por pensar na garota em coma e nisso na vida real me deixou intrigada. Imaginar ela reagindo às visitas e como o cara não sabe disso, mas continua vindo mesmo assim, os sentimentos dos dois, a culpa que ele sente pelas consequências do que o irmão fez, as coisas que ela sente ao ouvir tudo ao seu redor sem poder fazer nada sobre isso....nossa, tem uns troços pesados aí. Já me deixou pensando em muita coisa e passou aquele sentimento de querer que tudo dê certo.
    Um romance nessa situação é que não sei se daria certo. Imagina só? Achei meio triste, não sei se iria gostar de ver uma coisa mais explícita ali, cheia de sentimentos. Talvez esteja na medida certa pra não fugir muito do que a gente consegue acreditar, sei lá.
    Mas gostei do livro. A história dele parece daquelas que consigo me envolver fácil. Valeu a dica.

    ResponderExcluir
  4. É uma história bem original; realmente é estranho como pode nascer uma paixão entre uma mulher em coma e um cara desconhecido, muito surreal e ao mesmo tempo me deixou curiosa para saber como isso desenrola.
    A autora aborda temas fortes, e interessantes de serem discutidos. Pena que falhou no aprofundamento; mas apesar disso é uma leitura que eu gostaria de fazer.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Nunca li nada da autora e Sinceramente esse livro não me atraiu nem um pouquinho acho que vou deixar a sugestão de lado

    ResponderExcluir
  6. Olá Thuanne, Que história inusitada, ma já quero ler, não é todo dia que alguém entra em um quarto errado no hospital e começa a conversar com uma pessoa em coma, mas achei fofo eles irem se apaixonando mesmo sem ao menos terem conversado, sem conhecer um ao outro!! Temas bem fortes abordados no livro, estou muito curiosa para saber oque aconteceu com o casal, se teve o final feliz!!

    ResponderExcluir
  7. Oie Thuane =)

    Vi a capa desse livro no Instagram, mas confesso que ela não tinha me chamado muito a atenção. Lendo sua resenha a história até que me pareceu interessante, porém não é um livro no momento eu leria.

    Beijos e Feliz Ano Novo ;***
    Ariane Reis | Blog My Dear Library 

    ResponderExcluir
  8. Thuanne!
    O que mais gostei foi do enredo diferenciado dos que estou acostumada a ler em romances, fiquei bem curiosa para ver como essa relação vai se desenvolver e como tudo vai terminar.
    Gostei também de saber que a narrativa entre os protagonistas são diferentes, o que dá mais credibilidade ao livro.
    Um Novo Ano repleto de realizações!!
    “Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.” (Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  9. Oi, Thuanne!!
    Esse livro foi uma leitura bem interessante, gostei da estória mas senti falta de algo mais quando o livro acabou. Mas super indico esse livro.
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Olá, é perceptível que a autora optou por dar mais enfoque aos temas abordados em detrimento da caracterização dos personagens, que infelizmente acaba sendo superficial. Contudo, é interessante a maneira que use o casal, mostrando que o amor é capaz de superar obstáculos. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Achei diferente, pelo fato dela estar em coma e eles nem se conhecerem, mas só de ler a resenha fiquei torcendo pelo casal é uma pena a autora não ter se aprofundado no romance, mas acho que deve ser uma historia comovente.

    ResponderExcluir
  12. Oi Thuanne! Esse livro me lembrou um pouquinho a história do livro/filme E Se Fosse Verdade que eu li há um tempo já. É um assunto bem pouco explorado, realmente, essa questão do coma e também achei uma decisão precoce desligar os aparelhos em apenas cinco meses. É chocante, concordo com você. Achei um pouco estranho esse "relacionamento" surgir assim, mas hey, dizem que o amor surge de onde a gente menos espera, não é? rs
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Olá! Nossa que trama interessante, bem diferente de tudo que já li, tema forte esse o alcoolismo, a resenha me deixou bastante interessada em conferi essa história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Esse é um dos livros que estou adiando pra ler. O livro além de diferente me passa a impressão de passar as coisas de uma forma sensível e esperançosa. Não sabia que o livro abordava o alcoolismo também, acho que é um assunto complicado e até complexo. Sobre o coma, nem imagino como possa ser, deve ser algo muito complicado, tanto pra quem está passando como é o caso da Elsa como para quem está de fora vendo, que é o caso da sua família e do protagonista. É um livro diferente e por ser diferente acho que merece uma chance. Não sei se isso é algo que aconteceria na vida real. Você se apaixonar por alguém que você nunca realmente conversou? Que nunca olhou nos seus olhos. Não sei. Existem tantas pessoas no mundo. Será que isso nunca ocorreu ou vai ocorrer um dia?

    ResponderExcluir
  15. O que me fez me interessar por esta leitura, foi exatamente o tema emocionante descrito na estória, exatamente o fato de a garota estar em coma, e por causa de um erro, o mocinha acaba entrando no quarto errado, e por conversas francas acaba se apaixonando pela mulher que esta naquele leito, ainda tem a questão dos aparelhos serem desligados. Bom, já adquirir este livro entretanto ainda não tive oportunidade de lê-lo, mas por sabe que se trata de uma leitura rápida e envolvente, estou cogitando a ideia de poder ler no ano de 2018.

    ResponderExcluir
  16. Oi Thuanne!
    A sinopse já conta bem do que se trata a história né? Li um livro da Babi que segue esse estilo, mas tem menos drama, confesso que quero ler, mas tenho certeza de que ficaria mto agoniada com os capítulos narrados por Elsa, a dor de saber o que está acontecendo, sentir e não poder fazer nada é mto para mim, mas como acredito em finais felizes, espero que esse seja o caso do livro. Gostei bastante.
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Gostei muito da sinopse e da premissa deste livro. Achei uma história de amor inusitada e diferente de tudo o que já li. Também gostei de saber que a autora abordou temas complexos de uma forma leve, mas verídica. Adoro quando os autores fazem isso. Enfim, parece ser uma leitura leve e emocionante, e como um bom fã de romances com um pouco de drama, pretendo apostar na leitura.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.