Juntos Somos Eternos - Jeff Zentner

Sinopse: Dill não é um garoto popular na escola — e não é culpa dele. Depois de seu pai se envolver em um escândalo, o garoto se tornou alvo de piadas dos colegas e passou a ser evitado pela maioria das pessoas na cidadezinha onde mora. Felizmente, ele pode contar com seus melhores amigos, Travis e Lydia, que se sentem tão excluídos ali quanto ele. Assim que os três começam o último ano do ensino médio, mudar de vida parece um sonho cada vez mais distante para Dill. Enquanto Travis está feliz em continuar no interior e Lydia pretende fazer faculdade em uma cidade grande, Dill carrega o peso das dívidas que seu pai deixou para trás. Só que o futuro nem sempre segue nossos planos — e a vida de Dill, Travis e Lydia está prestes a mudar para sempre.
ZENTNER, Jeff. Juntos Somos Eternos. São Paulo: Editora Seguinte, 2018. 344 p. 


Eu não sabia exatamente o que esperar de Juntos Somos Eternos, porque na verdade o que chamou minha atenção foi o título poético do livro. No fim das contas, encontrei uma obra que tinha tudo para ser o maior clichê do mundo, mas que acabou se tornando um dos poucos favoritos do ano. Jeff Zentner acertou ao contar a história de três melhores amigos que usam a união e o amor que sentem uns pelos outros para driblar os problemas da vida. 

O livro, a princípio, tem uma trama bastante simples, com narrativa em terceira pessoa sob o ponto de vista dos três personagens principais: Dill, rejeitado por (quase) todos os colegas da escola por causa do crime que colocou seu pai — e pastor de uma das congregações da cidade — na cadeia; Travis, o adolescente "diferentão" fã de literatura que tem muitos, muitos problemas com o pai abusivo; Lydia, uma blogueira famosa de moda que sonha em fazer faculdade na cidade grande. O que tornou essa história tão grandiosa foi a forma como a trama foi desenvolvida. 

Eu me conectei muito com Travis e Dill, as criaturas mais bondosas, pacientes e amáveis do Universo, mas tive muitos problemas com Lydia, que para mim não passa de uma garota grossa e mimada. A forma como ela trata os amigos só reforça aquele estereótipo de "pessoa rica que se acha melhor que todo mundo", e isso me incomodou muito. Claro que depois de certos acontecimentos ela acabar percebendo a pessoa escrota que estava sendo, mas eu já tinha pegado um rancinho e não consegui sentir muita empatia por ela. Os pilares desse livro são, com certeza, Dill e Travis, dois arrasos de personagens.

— Li em algum lugar que muitas das estrelas que vemos não existem mais. Já morreram e demora milhões de anos para a luz delas chegar à Terra — Dill disse.
— Esse não seria um jeito ruim de morrer — Lydia respondeu. — Emitir luz por milhões de anos depois da morte. (p. 107)

O engraçado é que o começo de Juntos Somos Eternos é muito comum e até meio parado. A vida dos três adolescentes é exatamente igual à nossa quando tínhamos uns 16, 17 anos, mas a escrita de Zentner é tão boa que é impossível largar. Quando os dramas familiares aparecem, o livro toma outra cara. Um dos focos da narrativa é o fanatismo religioso, que foi muito bem representado através de Dill, um garoto maravilhoso, mas totalmente oprimido pela mãe, que sempre o acusava de agir contra as vontades de Deus. O mais triste foi ver o que atitudes como essas podem causar no emocional da pessoa.

Eu já estava gostando muito do livro, mas o plot twist me marcou demais. A partir desse ponto, foi impossível controlar minhas emoções. Só de lembrar fico com vontade de chorar — até porque desse ponto pra frente só chorei mesmo —, porque realmente mexeu muito comigo e me mostrou que vale a pena continuar vivendo mesmo quando tudo parece conspirar contra, e que isso é muito mais fácil quando temos pessoas que nos amam perto de nós. 

Eu realmente não consigo descrever o quanto gostei, mas espero que tenha passado pelo menos um pouquinho do que eu senti para vocês. Juntos Somos Eternos foi muito mais do que eu esperava. É uma leitura dolorosa, cheia de verdades difíceis de engolir, mas ao mesmo tempo é lindo, transmite uma mensagem maravilhosa sobre amizade, amor, esperança e fé, em um Ser Maior, no Universo e em nós mesmos. Com certeza vai ficar do meu coração por muito tempo.
Ana Clara Magalhães
Ana Clara Magalhães

11 comentários:

  1. Vejo tanta coisa legal dele que quis ler o livro só por isso. E ele me pareceu um tiquinho clichê, essa coisa dos adolescentes, amizades assim e tal. Mas dá pra ver que mesmo com um começo normal as coisas tomam um rumo muito forte depois. Parece dessas histórias que você começa sem esperar muito e se impressiona cada vez mais ao ler. E com os sentimentos que tem aí parece que é um livro forte mesmo heim. Gostaria de conhecer. Arrancar umas lágrimas é um ponto que me chamou atenção.

    ResponderExcluir
  2. Puxa, primeira resenha que leio deste livro,aliás, primeira vez que vejo este livro e já me apaixonei por tudo que li acima sobre ele.
    Amo histórias clichês, mas se elas trazem essa gama de sentimentos, melhor ainda!
    Não são apenas três amigos, é bem mais além. Há também os desafios, problemas e com isso, aquele segurar nas mãos uns dos outros para arrumar forças.
    Com certeza, o livro vai para a lista de mais desejados!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Parece ser uma historia muito bonita e emocionante, quando se tem união entre as pessoas é uma maravilha, pena a personagem ser chatinha, pelo menos ela melhora rs. Que vida difícil a dos garotos com esses pais, os problemas deles deve mexer muito com a gente e nos deixar pensando sobre o assunto. Gostaria de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, essa resenha só me deixou com mais vontade de fazer esta leitura; sinto que vou amar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Livros sobre adolescentes, que enfrentam problemas familiares e/ou que se passa na escola não costumam despertar o meu interesse, sem falar que evito ler leituras dolorosas pois sou uma manteiga derretida... por isso dificilmente eu leria Juntos Somos Eternos.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Pelo que percebi é uma história emocionante, que retrata a vida real dando lições não só da vida como de amor e de amizade. Fiquei encantada com a história dos três e curiosa pra saber o desenrolar da trama, principalmente no plot. Um livro daqueles de deixar a gente refletindo após a ultima pagina e querendo mais. Com certeza irei ler!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ana
    Li nesse mês Dias de Despedida e gostei muito, o autor consegue nos envolver tanto que você quer chegar no fim do livro logo de tanto que nos envolve.
    Juntos Somos Eternos tem uma capa linda e um enredo incrível e ao mesmo tempo sensível.
    Espero ter oportunidade para ler, beijos!

    ResponderExcluir
  8. É tão bom quando um livro supera as nossas expectativas né? Acho demais!!
    Amo histórias que nos emocionam e nos fazem chorar bastante rsrs E livros que abordam temas importantes, são os que chamam mais atenção. Além disso, reunir toda uma esfera de emoções, amizade, amor, fé, etc. Não é para qualquer um não.
    Já vou colocar esse livro na minha lista também.

    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Olá! Não conhecia esse livro, parece ser bem emocionante, essa sua resenha me deixou bastante interessada em conferi essa história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Interessante esse livro, parece trazer uma mensagem legal sobre a amizade, principalmente na adolescência. Eu gostei do que foi apresentado, é um livro que quero muito ter a oportunidade de ler.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.