Promíscuo ser de partitura finita - Cris Coelho

Sinopse: Duas vidas entrelaçadas por um mesmo propósito. Um carma que é passado por diferentes gerações unindo duas mulheres em épocas distintas. De um lado, está Maria Scarlet, uma prostituta de um passado distante que, após apanhar muito da vida, consegue se estabelecer como dona de um bordel. Com o tempo, o bordel ganha fama e se torna referência na pacata Holanda de 1750, derivando a qualidade de seu nome para a rua a qual o estabelecimento funcionava: “Red Street”, atualmente conhecida como “Red Light”. Do outro lado, está Anna Lara, uma mulher frágil e atormentada pelas lacunas do seu sombrio passado. Com o suporte de Maria Scarlet, Anna Lara cria defesas emocionais por meio da energia sexual que recebe de sua protetora e se torna participante ativa e assídua de toda forma de desvio sexual, ao lado de seu parceiro de vida, Jota Jr. Em um enredo psicológico completamente envolvente, Anna Lara esbarra nas lacunas sexuais escondidas nas partituras não terminadas de um universo promíscuo e misterioso. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora
COELHO, Cris. Promíscuo ser de partitura finita. Editora Pandorga, 2017. 160 p.


Acredito que dificilmente teria lido Promíscuo ser de partitura finita, de Cris Coelho, se não tivesse recebido o livro como cortesia da Editora Pandorga. Tenho evitado romances eróticos nos últimos meses, pois só tenho encontrado mais do mesmo, e tinha a impressão de que a leitura não me conquistaria. Mas o livro estava ali, eu estava indecisa sobre o que ler, e as poucas páginas me convenceram a finalmente iniciar a leitura.

A primeira coisa a se tomar conhecimento sobre o livro é que suas poucas páginas enganam. A fonte pequena e a escrita concisa da autora conseguem incluir muito conteúdo em poucas linhas. Por essa razão, em 160 páginas, há muita história, passado e presente, vivências e lembranças. Na trama, ao mesmo tempo que acompanhamos a vida de Anna Lara no presente, o enredo resgata passagens de sua infância e os mistérios da mulher que a acompanha: Maria Scarlet. Desde o início, é possível perceber que a vida das duas estão entrelaçadas, mas as explicações para isso começam a aparecer mais para o final do livro, embora não sejam completamente entregues, já que o livro sugere a existência de uma continuação.

A narrativa concisa da autora não significa uma leitura simples e objetiva. Cris Coelho abusa das figuras de linguagem e da poesia, dando ao texto um toque sofisticado. É engraçado porque, ao mesmo tempo que enfeita as passagens de sua narrativa, consegue construir algo visceral e simples, sem se preocupar com as palavras ao narrar as minúcias da vida promíscua de Anna Lara. O texto consegue, numa mesma linha, ser refinado e belo, mas sujo e absurdamente carnal.

Aliás, as cenas eróticas criadas pela autora não são nada romantizadas e nem buscam envolver com narrações cheias de dedos e toques. Tratam-se pele e fogo, só isso, sem pudor. É algo cru, sem limites, sem barreiras, e qualquer fantasia, por mais escrota que possa parecer, pode ser incluída, sem julgamento. E é nesse aspecto que esbarra a questão principal do livro: Anna Lara se divide entre a vontade de se entregar a esse fogo e a sensação de que o que faz é errado, principalmente por conta dos ensinamentos religiosos que recebeu.

A religião é outro ponto bem debatido na obra, e se irradia para várias outras situações descritas no contexto. São citadas características da Umbanda, do Candomblé, do Espiritismo, da Igreja Evangélica, entre outras. Nesse aspecto, senti que a autora podia ter feito uma abordagem mais completa sobre as religiões, já que em alguns momentos a construção esbarrava em sensos comuns, sem uma análise mais aprofundada sobre cada uma delas. Entrelaçados a isso, não só a questão do sexo, mas também temas como aborto, vício, violência, suicídio e homossexualidade são tratados no enredo.

Fiquei um pouco frustrada com a ausência das respostas para os segredos narrados na obra. Por se tratar de um livro curto, pareceu-me desnecessário que tenha sido dividido em dois. Além do mais, fiquei bem irritada com o final. As atitudes da protagonista me levaram a criar uma antipatia por ela, em especial quando tudo o que fazia (mesmo aquilo que não queria) tinha uma única razão: Jota, seu marido. E isso só se confirmou quando, depois de tudo o que passou e do tempo que levou para se recuperar, ela voltou para aquilo logo que teve oportunidade.

Preciso registrar que Promíscuo ser de partitura finita me surpreendeu em alguns aspectos, principalmente no que se relaciona à construção textual da autora, mas, infelizmente, a trama não me conquistou, talvez por não ser um gênero que eu curto. De fato, foi bem diferente de tudo o que eu li nos últimos tempos, e vale lembrar que as notas do livro têm sido bem altas no Skoob, o que significa que, para aqueles que gostam de livros nesse estilo, talvez seja interessante dar uma chance para a obra.
Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

23 comentários:

  1. Ju que pena que não te atraiu tanto, eu amo esse gênero, o que mais tenho lido nos últimos meses é este, e confesso que não conhecia esse livro, vai pra listinha com toda ctz!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. esse também não é um gênero que curto muito, mas pelo jeito a obra tem seus lados positivos,achei legal que fala sobre assuntos como religiosidade, aborto, vício, homossexualidade e etc, porém, é muito ruim quando criamos uma antipatia pela protagonista. É uma pena que a trama não te conquistou, mas como você disse, pra quem gosta do gênero, pode ser que o livro dê certo.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Não conhecia o livro e apesar de gostar do gênero, essa história em si não me atraiu, ainda mais sabendo que poderá haver continuação e o final não trás todas as respostas. São raras as protagonistas que eu pego ranço, mas quando acontece fica mais difícil concluir a história.

    ResponderExcluir
  4. Não é o Júnior que eu leia muito eu não gosto de livros com pegada erótica eu evito de direito assim porque nunca me agradam Então acho que eu vou deixar sugestão passar por hora

    ResponderExcluir
  5. Olá Ju! Essa é a primeira resenha que vejo de esse livro, curto muito um romance erótico, fiquei bastante interessada em conferi isso tudo que foi dito aqui.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju eu não conhecia esse livro, eu gosto bastante de livros de romance eróticos e também concordo com você eu só tenho encontrado livros de romance erótico sempre com as mesmas histórias. Fiquei curiosa em relação a personagem Anna e como a história dela vai ser desenvolvida na trama por que como você disse na resenha ao mesmo tempo que ela tem vontade de se entregar ela acha que é errado e que legal o livro abordar o tema religião acho bem diferente e que pena que a trama não te conquistou. Percebi que o livro é um pouco diferente do que eu costumo ler de romance erótico mas parece um livro instigante então eu vou dar uma chance com certeza vou ler, obrigado pela dica beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ju!
    Costumo ler romances eróticos mas só quando a trama me chama a atenção, o que confesso que nos últimos tempos não aconteceu, como aconteceu com você, pra mim tudo parece mais do mesmo...
    Mas sinceramente eu prefiro os romances eróticos mais light, não por causa de preconceitos ou coisa parecida, é que não me sinto confortável com romances eróticos do tipo "mais pesads" digamos assim, esse estilo não faz o meu gênero... e como você disse que as cenas eróticas criadas pela autora não tem nada de romantizadas, acredito que Promíscuo ser de partitura finita não é pra mim...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Nossa jamais diria que esse livro teria tanta carga emocional, tanto conteúdo pela sinopse e pela capa, como você achei que era mais um erótico comum. Mas parece um livro que nos faz refletir um pouco, principalmente no tema religião embora ela não tenha foca especificamente em uma.

    ResponderExcluir
  9. Oi Ju
    De fato, os livros eróticos vem sendo tudo do mesmo e isso desanima um pouco com o gênero, mas pela resenha eu já imaginava algo diferente desse livro e mesmo vendo que não te conquistou tanto eu fiquei tentada a ler, sendo uma história que trata o sexo de forma real e ainda mistura religião tem tudo para ter uma boa trama. Colocarei na lista de desejados, espero ter uma experiência melhor que a sua!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá Ju!!
    Ainda não conhecia esse livro essa é a primeira resenha que leio, gosto de romances com pegadas eróticas, esse livro me parece ser bem pesado e diferente dos que estou acostumada a ler, mas dar uma chance para a obra e se tiver oportunidade gostaria de ler!!

    ResponderExcluir
  11. Oi... Que pena que nao gostou muito da leitura, mas acho que te entendo hahah Amo eróticos, mas infelizmente esse não me parece que eu gostaria... Não gosto de capas sensuais também... :/

    ResponderExcluir
  12. Eu até gosto do gênero, mas desde que tenha uma historia por trás do sexo e que não seja como esse assim cru e seja mais romantizado, que pena que a leitura não foi boa, também não me interessei. E acho que também não gostaria das atitudes da protagonista

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ju.

    Bom, o livro vai muito além do que imaginamos, né? Por falar não somente sobre o sexo em si, sobre a vida da Anna Lara e a Lara mas outras que merecem ser discutidos, que precisam de mais atenção e que são polêmicos.

    Esse tom de mistério só enriquece mais o livro, e eu já tô pensando o que entrelaça a vida das duas, o que pode ser...

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia o livro, e confesso que não gosto muito de hot.
    Mas esse pareceu-me ser muito bem escrito e recheado de assuntos importantes a serem refletidos.
    Fiquei curiosa.
    bjsss
    Ana,
    elvisgatao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Dificilmente eu leria uma história com esse título, um título complexo que não faço ideia do que possa significar. Eu gosto de histórias com conteúdo erótico, mas gosto de boa trama, de bons diálogos e não somente cenas banais de sexo. Achei o enredo confuso, a sinopse tbm é confusa, o que não ajuda.

    ResponderExcluir
  16. Eu gosto muito de romances, romances eróticos e estou sempre lendo, e diferente de você amo os clichês, mas tem que ter ao menos uma boa escrita, e realmente as vezes é tudo mais do mesmo. Não conhecia esse livro, mas só pela sinopse dá pra ver que é diferente dos romances hots que já li e que tenho aqui, pela resenha deu pra ver que a escrita da autora é algo mais sisudo, mais construído. Uma pena que ela não conseguiu responder certas coisas que te deixaram curiosa. Eu não fiquei com vontade de ler, mas acho que poderia arriscar a leitura.

    ResponderExcluir
  17. Ju!
    Como gosto de romances eróticos e por todas suas observações em relação a escrita e conteúdo do livro, fiquei interesada para ler.
    Também gosto do artifício de irmos descobrindo o passado através de flash backs, tem a questão do mistério, o debate sobre as religiões e sobre outros assuntos, mesmo que não tão bem desenvolvidos.
    E todo dilema de Anne em se entregar ou não a esbórnia carnal.
    Quero conferir tudinho.
    “Que o novo ano que se inicia seja repleto de felicidades e conquistas. Feliz ano novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  18. Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, mas confesso que não me interessei muito por ele não.
    Eu também estou bem cansada de eróticos, os últimos que eu li eu até pulava as páginas, porque realmente é mais do mesmo.
    Esse livro parece ser um pouquinho diferente da maioria, mas mesmo assim não fiquei com vontade de ler ele :/

    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Eu fiquei bem perdida com a resenha mas ao mesmo tempo tanto entende. A história e bem escrita, ainda mas em poucas paginas. Me deixou bem curiosa.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  20. Oi Ju
    Eu já ouvi falar desse livro, mas não tenho vontade de ler ele. Ele realmente tem uma nota boa no skoob e já vi algumas pessoas elogiar. Mas no momento estou fugindo de livros eróticos. Eu li muitos no final do ano passado, e agora estou bem saturada do gênero.
    É uma pena que você não gostou do livro =/
    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  21. Eu amo o gênero erótico,mas realmente tem sido bem mais do mesmo e isso acaba nos fazendo sempre fugir de livros assim.
    Confesso que não conhecia este livro,mas gostei do título de cara e capa também. Mas lendo a resenha, vi que ficaram muitas pontas soltas e a autora poderia ter investido mais em um enredo que tinha tudo para dar certo.
    Mesmo assim, se puder, quero muito ler!
    Beijo

    ResponderExcluir
  22. Ola, tudo bom?
    Como você tenho fugido dos eróticos, realmente tem sido mesmo do mesmo hahahaha. Não conhecia o livro e nem autora, parece ser bacana, mas não tenho interesse de ler pelo menos por agora, quem sabe mais para frente eu dê uma chance e goste do livro.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  23. Olá Ju!!!
    Eu estou na mesma que você em relação a livros eróticos, pois são poucos aqueles que me surpreendem e fazem com que eu acabe curtindo aquela leitura que estou fazendo.
    Apesar do livro ter uma pegada que questiona algumas coisas não é muito o foco que eu acabaria me encantando e gostando, porém se tem muita gente no skoob que tem gostado quem sabe um dia.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.