Fazendo as pazes com o corpo - Daiana Garbin

 Uma jornada para vencer a relação doentia com a comida e a obsessão pela forma perfeita.
“Para conseguir ser magra, já fiz tudo o que você pode imaginar. Tomei todos os tipos de remédios para perder peso e controlar o apetite: anfetaminas, tarja preta, fórmulas e medicamentos fitoterápicos, passando por remédios para diabetes. Tomei laxantes, diuréticos, calmantes, ansiolíticos, estimulantes, soníferos e também aquele medicamento que tira 30% da gordura dos alimentos, mas que, ao menor descuido, faz você sujar as calças sem perceber. Fiz todas as dietas que existem, da proteína, da lua, do abacaxi, dos dias ímpares, do jejum. Já fiquei dois anos sem comer carboidratos. Tentei vomitar depois das refeições, mas não consegui. Desejei ter anorexia, mas não resistia muitos dias sem comer. Fiz diversos tratamentos estéticos e confesso que já fiz três cirurgias de lipoaspiração – e ainda precisei pegar empréstimo bancário para pagar esses procedimentos e fiquei endividada até as orelhas por muitos anos. *** Escrevi este livro para dividir com você como os acontecimentos que deram origem aos meus problemas foram se sobrepondo até culminarem em uma situação insustentável, e como, a partir daí, comecei a aprender a respeitar o meu corpo e a fazer as pazes com a comida e com a saúde. Vou mostrar tudo o que fiz para conseguir gostar do que eu enxergo no espelho, para desenvolver meu amor-próprio, para ter prazer de comer sem culpa, sem excessos e sem restrições, e para, sobretudo, me aceitar como eu sou, com todos os meus defeitos e qualidades.”

Livro recebido em parceria com a Editora
GARBIN, Daiana. Fazendo as Pazes com o corpo. Editora Sextante, 2017. 168 p.

Não tenho o hábito de ler livros que não são ficção, mas às vezes me arrisco a ler algo do mundo real, até mesmo por esse motivo, por ser real, por trazer uma lição verdadeira, que pode me fazer refletir bastante em como estou levando a vida.

Quando vi este livro no catálogo da Sextante, logo me interessei, pois é um tema que me cerca desde pequena. A autora é Daiana Garbin, uma ex jornalista da Globo que confesso não conhecer muito bem, já que não sou muito fã de TV e aborda um tema que não é muito comentado no Brasil, que são os transtornos alimentares.

Durante 22 anos Daiana sofreu com um transtorno alimentar não identificado. Desejava ser muito magra, se sentia mal com o seu corpo e distorcia sua imagem diante do espelho. E com essa frustração, a vontade de comer só aumentava, o que trazia um grande conforto para ela. Mas, logo após comer, Daiana se sentia péssima, e esse ciclo comandou sua vida por todos esses anos.

Ela realizou cirurgias, fez dietas, tomou medicamentos inibidores de apetite entre outros que de alguma forma promovia o emagrecimento, mas nada adiantava, ela acabava engordando novamente e se sentia cada vez pior. Sua felicidade dependia do fato de estar magra, o que nunca acontecia, pois os quilos que ela emagrecia nunca eram suficientes para torná-la do jeito que queria. Mas, após um episódio marcante em sua vida, ela decidiu largar o emprego e criar um canal no Youtube contando suas experiências e sua luta diária, com o objetivo de ajudar pessoas que, assim como ela, não amavam seu corpo. Daiana pesquisou muito sobre transtornos alimentares e buscou ajuda profissional, o que a ajudou a amar cada vez mais seu corpo do jeito que ele é. Ela também aprendeu a controlar a compulsão por comida, aprendeu a não "engolir" seus sentimentos e vem tentando mostrar para as pessoas como fazer isso.

"Tente deletar tudo o que você pensa sobre o seu corpo. Olhe-se no espelho como uma criança que está se vendo pela primeira vez, sem julgamentos, sem preconceitos. Ninguém nasce odiando o próprio corpo. Alguém nos ensina a não gostar dele. A boa notícia é que, se aprendemos a odiar, também podemos aprender a amar. Então limpe a mente e veja como há beleza em você. Talvez você encontre alguma resistência, mas não desista! Não é possível mudar de uma hora para outra algo que foi estabelecido há tantos anos."

O livro é bem interessante, contém várias estatísticas, informações e até alguns depoimentos de pessoas que sofrem com transtornos alimentares. Fiquei impressionada com a porcentagem de pessoas que morrem devido à anorexia, muitas pessoas se suicidam, devido ao tamanho sofrimento que é ter essa doenças, mas essas notícias não são muito divulgadas, não é mesmo? 

Esse padrão de beleza imposto pelas mídias muitas vezes é inatingível, mas ainda assim, cada vez mais celebridades apoiam essa ideia, de que corpo bonito é corpo magro e sarado. No Instagram é muito comum vermos fotos de famosos fazendo exercícios ou tomando shakes emagrecedores, e infelizmente isso acaba entrando em nossas cabeças, pois somos humanos, desde pequenos vimos bonecas magras e bonitas, como se aquilo devesse ser o padrão, mas não é bem assim. Muitas pessoas não têm a prédisposição genética para serem magras, mas aí vem tal youtuber dizer que "Você não emagrece por que você não quer", mas não, não é bem assim.

"Seja grata pelo corpo que tem hoje, não importa a forma dele. Só somos capazes de cuidar bem daquilo que amamos. Portanto, ame-se com compaixão e sem julgamentos. Esse é um passo fundamental para começar a cuidar de si mesma."


Daiana não mente, não diz que existe uma forma milagrosa para amar o próprio corpo, mas dá dicas de como amá-lo e respeitá-lo. Quem sofre de transtornos alimentares tem uma luta diária, mas é possível sim vencer essa guerra. 

Então se você que está lendo essa resenha tem algum problema com o seu corpo e acha que não consegue lidar com isso sozinho, procure ajuda. Não é feio pedir e nem vergonhoso. Na verdade é bom, é um sinal de que você deseja ter uma vida saudável,  quer uma mudança e que deseja se sentir bem consigo mesmo. E a mudança deve começar por você.


Thuanne Souza
Thuanne Souza

Paulista, 22 anos, assistente administrativa e estudante de Farmácia ❤ Sempre tentando ser alguém melhor e seguindo o lema “levo a vida devagar pra não faltar amor”. Apaixonada por músicas (principalmente as nacionais) e livros. Aprendendo a gostar de outros gêneros, além dos romances clichês.

20 comentários:

  1. Conheço um pouco sobre a estória dessa jornalista, a respeito do transtorno alimentar que sofreu, e fiquei feliz em saber que ela escreveu um livro, que ao meu ver pode ajudar muitos pessoas que passam por esta situação, ou que mudar o hábito alimentar. Gostei muito da forma como ela aponta a questão da beleza não atingível. De uma geral, fiquei bastante interessada na premissa do livro, e talvez futuramente pretendo adquiri-lo. Espero gostar da obra.

    ResponderExcluir
  2. Conheço o trabalho da Daiana como jornalista, e já vi algumas entrevistas depois que ela saiu do jornalismo e revelou sua dificuldade com o corpo.
    É um gesto muito corajoso e generoso, porque permite que outras pessoas conheçam mais sobre o assunto e quem passa por isso tem um ponto de apoio e vê que não está só.
    Eu também não tenho hábito de ler não ficção, mas esse livro é bem interessante pelo tema abordado. E parece que é escrito de uma maneira mais simples.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito desse livro por abordar transtorno alimentar e o padrão de beleza enraizado na sociedade. O quanto a pessoa tá disposta a fazer pra ficar "magra e bonita" como o padrão exige. A gente se joga em dieta, em remédio, uns fazem cirurgias...mas é bom sempre ter uma ideia de como anda a saúde e do que é o melhor para o nosso corpo. Muitas vezes a gente esquece de ver isso e faz um mal que chega a ser absurdo você pensar o motivo. Gostei por ter tantas informações sobre essas doenças e as coisas que acabam chocando. É algo que dá um choque de realidade na pessoa. Verdadeiro, um alerta. Achei interessante o livro por isso, mesmo não sendo lá meu estilo de leitura habitual também.

    ResponderExcluir
  4. Ola, Gostei muito da indicação desse livro, a maioria das mulheres vivem em função de ser aceita com pessoas bonitas, ter um corpo perfeito, e esqueçe que temos que nos aceitar como somos e se sentir bem acima de tudo, achei muito interessante a dica do livro, gostaria de ler se tiver oportunidade!

    ResponderExcluir
  5. Oi Thuanne!
    Confesso que não curto livros do gênero, mas eu estou curiosa pra ler este, pelo assunto trazido que ultimamente tem me interessado bastante, vou tentar ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Não leio livros do gênero, mas parece ser interessante ainda mais para quem esse transtorno ou conhece alguém que tem, deve ter muitas informações que possam ajudar as pessoas e muitas dicas para se sentir bem consigo mesmo.

    ResponderExcluir
  7. Olá Thuanne! Toda essa situação vivenciada pela autora é muito triste e também mais comum do que imaginamos. Tudo por causa o desejo de perfeição implantado em nossas cabeças pela mídia. É necessário abordar o assunto para que as pessoas busquem tratamento e compartilhem seus problemas com a família e profissionais de saúde. è uma leitura muito interessante e necessária a todos nós. Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Thuanne. Eu acho todo esse papo sobre dieta, exercício e emagrecimento doentio. Só se fala disso, vive-se em função disso! O resultado tá aí: pessoas extremamente infelizes consigo mesmas, com a autoestima baixíssima e cheias de problemas e distúrbios psicológicos e alimentares. Acho o questionamento desse livro, pelo que você falou, super válido e importante!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá! Assisti entrevistas dessa jornalista falando da sua vida e do livro, essa obsessão para alcança um corpo ideal, perfeito é doentio mesmo, principalmente aqui no Brasil, que a variedade de biotipo é enorme, o povo aqui é uma mistura de gente de todas as parte do mundo, graças a Deus nunca tive problema em me aceita como sou, leitura bem interessante.

    ResponderExcluir
  10. Olá, apesar do tema triste que o livro aborda, é notável que o mesmo faz um apelo para a importância de se sentir bem com o próprio corpo e enfatiza que o transtorno alimentar é uma questão série e que exige um tratamento adequado. Com certeza essa obra informativa deve ajudar muita gente. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Com certeza é um livro que pode ajudar muitas pessoas que estão passando por esse problema, em busca da perfeição, ou até mesmo seus parentes ou amigos.

    ResponderExcluir
  12. Thuane!
    O livro deve mesmo ser bem interessante, afinal e infelizmente, na nossa modernidade, o culto ao corpo é extremo, as pessoas valem por suas aparências o que leva a pessoas que não se encaixam nesses padrões, terem algum prblemas psicológico e a sofrerem.
    Bom domingo!
    “A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  13. Oi Thuane!
    Não é um livro que costumo ler, mais desde o lançamento dele me interessei .. Sei bem pelo que a Daiana passa, desde nova brigo com a balança, e conheço vários métodos para "tentar" o corpo perfeito, acho que é uma leitura obrigatória para todos, um livro para entender que não existe o corpo perfeito e Lara aceitação de si mesmo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Nossa, esse livro parece ser extremamente tocante e parece desconstruir vários preconceitos que as pessoas tendem a ter com transtornos alimentares. É quase impossível, sobretudo na fase da adolescência, mulheres se sentirem bem com o próprio corpo porque, como a autora destacou, somos ensinadas a odiá-lo. Até a princesa Diana sofreu com anorexia (ou bulimia, não me recordo), fiquei estarrecida quando descobri isso...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Como você, também não tenho o hábito de ler livros que não são ficção, mas acabei achando bem interessante este livro, achei interessante conter estatísticas, informações e depoimentos de pessoas que sofrem com transtorno alimentar. Quem sabe futuramente eu leia Fazendo as pazes com o corpo.

    ResponderExcluir
  16. Sei que ele falou se não me agrada muito da área de auto-ajuda realmente vou deixar essa dica de lado

    ResponderExcluir
  17. Nossa, preciso desse livro, pois estou um pouco parecida com essa autora. Estou descontente com meu corpo, mas não paro de comer. Acho que em termos de aceitação, essa autora pode me ajudar e muito.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Thuanne!!!
    Não sou muito de ler livros desse gênero mas acho super importante o tema que é discutido no livro, pois muito se fala de um corpo perfeito mas não sabemos como muitas pessoas fazem para manter esse "corpo".
    Bjos

    ResponderExcluir
  19. O discurso otimista e a indicação de que é possível sim, ter sofrido gravemente e se recuperar tornam a leitura uma ótima sugestão para todo mundo, até mesmo para quem (acha que) não sofre com isso. Lembrando que apesar de ser direcionado aos problemas relativos ao peso, o assunto da imagem corporal envolve toda a leitura. Eu também indico super esse livro.

    ResponderExcluir
  20. Achei esclarecedora a resenha e legal saber mais sobre essa moça que passou por isso. Apesar de gostar de livro que abordam transtornos, pois faz com que a gente se coloque no lugar da pessoa e consiga entender mais sobre o assunto eu não estou acostumada a ler livros desse gênero, autobiografia/biografia. Mas esse aparentemente é interessante já que ajuda pessoas que sentem o mesmo e como você disse, de uma forma realista e não uma ilusão. Não é da noite pro dia que vamos mudar de opinião e começar simplesmente a amar aquilo que ontem detestávamos. Acredito que seja um passo de cada vez. Feliz em saber que essa moça conseguiu e consegue todos os dias, infelizmente nem todos conseguem e quase não vemos as pessoas tratando sobre esse assunto.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.