Garotas de Vidro - Laurie Halse Anderson

Sinopse: Lia está doente e sua obsessão pela magreza a deixa cada vez mais confusa entre a realidade e a mentira. Mas ela perde totalmente o controle quando recebe a notícia de que sua melhor amiga, Cassie, morreu sozinha em um quarto de motel. E o pior: Cassie ligou para Lia 33 vezes antes de morrer.
O que começou como uma aposta entre duas amigas para ver quem ficaria mais magra tornou-se o maior pesadelo de duas adolescentes reféns de seus próprios corpos.
Ao negar seu problema, Lia impõe a si mesma um regime cruel em que contar calorias não é o bastante. Ao omitir seu desespero, apela ao autoflagelo numa tentativa premeditada de aliviar seus tormentos. Seus pais e sua madrasta tentam ajudá-la a qualquer custo, mas nem mesmo sua doce irmã, Emma, consegue fazer com que Lia pare de se destruir.
Agora, Lia precisa encontrar um modo de lidar com todos os seus fantasmas, e a morte de Cassie é um deles.
Garotas de Vidro é uma história intoxicante sobre a autorrepugnância e a busca pela identidade. Neste livro, Laure Halse anderson aborda de modo realista a dolorosa condição de jovens que sofrem de transtornos alimentares e sua complicada relação com o espelho e consigo mesmos. (Skoob)
ANDERSON, Laurie Halse. Garotas de Vidro. Editora Novo Conceito, 2012. 272 p.

Bom, não vou me preocupar em contar muita coisa da história, pois a sinopse já conta praticamente tudo que vamos encontrar, sem se aprofundar, claro, mas isso só será possível saber se você ler e nem vou esperar chegar até o final para te pedir que leia. - Leia, garanto que este é um livro que merece ser lido. - Então, optei por contar somente quais foram os meus sentimentos ao decorrer da leitura e minha opinião sobre a escrita da autora. 

Tenho esse livro há algum tempo, mas sempre acabava passando outros na frente, mas esse ano decidi usar uma tática diferente, para não deixar os livros mais antigos para trás, então logo peguei esse para ler. Após encerrar a leitura me arrependi de não ter lido antes. Esse livro abriu meus olhos para esse tema que é bem complicado e fiquei muito grata em ter a oportunidade de ler esta obra.

Lia tem anorexia e Cassie tinha bulimia. Isso começou com uma aposta boba quando elas ainda eram crianças, mas trouxe consequências terríveis para as garotas. As duas de certa forma foram impedidas de viver por causa dessa obsessão pela magreza. Uma não tem amigos e mal sai de casa, a outra, acabou se matando.

 A história é narrada por Lia e podemos dizer que ela não é uma narradora muito confiável, já que se perde entre o que é real e o que é ilusão. A garota vê Cassie em seu quarto à noite, mas como é possível se Cassie está morta? A culpa por não ter atendido as ligações da amiga a corrói e para piorar Cassie a chama, dizendo que ela está quase lá, que precisa ficar firme... Que ela vai conseguir chegar ao zero.

“Eu poderia dizer que estou animada, mas isso seria uma mentira. O número não importa. Se eu chegasse a 31.700, eu quereria 24.200. Se eu pesasse 4.500, eu não estaria feliz até chegar aos 2. O único número que seria o bastante é 0. Zero quilos, vida zero, tamanho zero, duplo- zero, ponto zero.”

Durante toda leitura há um clima de tristeza, não só devido à morte de Cassie, mas também pela forma que Lia está levando sua vida. Ela criou em sua cabeça algumas regras que as outras pessoas não conseguem entender. Ela se vê totalmente distorcida no espelho e deseja ser cada vez mais magra, se privando quase que totalmente de se alimentar. Lia, uma garota com pouco mais de 40 quilos se acha gorda e se xinga mentalmente a todo momento. Fiquei com o coração apertado durante toda a leitura, com vontade de entrar no livro para tentar fazer alguma coisa por ela. 


É muito nítido o quanto Lia se sentia sozinha e sofria com isso. Seus pais sempre foram ausentes e parecia haver uma barreira que não permitia que a relação entre eles avançasse. Claro que é ficção, mas na vida real isso não é raro acontecer, então é uma coisa que entra mesmo na cabeça, trazendo grande reflexão. 

A escrita é quase poética e possui muitas metáforas. Laurie conseguiu colocar uma grande carga de drama que me fez sentir um nó na garganta em vários momentos da leitura. Achei interessante alguns elementos que a autora usou em sua escrita, como riscar algumas palavras, como se fosse Lia negando alguma coisa, tentando se fazer mudar de ideia. Parece fazer o leitor saber exatamente o que Lia sentia, chegava a ser sufocante em alguns momentos. E sempre quando Lia ia comer alguma coisa ou via alguém comendo, ela automaticamente contava as calorias e isso é descrito no livro também, mostrando o quando a garota era obcecada com a comida. 

Porque eu não posso deixar-me querê-los porque eu não preciso de um muffin (410), eu não quero uma laranja (75) ou torradas (87), e waffles (180) me fazem vomitar.”

Indico o livro para todos, o tema é bem forte, falar sobre transtornos alimentares é sempre difícil, mas precisamos nos abrir para isso, pode acontecer com qualquer um, precisamos estar preparados para ajudar um familiar ou um amigo, ou até nós mesmos.

Thuanne Souza
Thuanne Souza

Paulista, 22 anos, assistente administrativa e estudante de Farmácia ❤ Sempre tentando ser alguém melhor e seguindo o lema “levo a vida devagar pra não faltar amor”. Apaixonada por músicas (principalmente as nacionais) e livros. Aprendendo a gostar de outros gêneros, além dos romances clichês.

13 comentários:

  1. Este é sem sombra de dúvidas, um livro sofrido.
    Cada página carrega não só o peso da doença, da perda, mas também um certo desespero, uma vontade danada de entrar nas páginas e dar um beliscão na menina.
    É impossível não ficar meio com este nó na garganta realmente, essa agonia.
    Parece que é algo que está sendo vivido aqui, na nossa frente!
    Mesmo tendo lido este livro já faz um tempinho, recomendo sempre a todos!
    Show de resenha e obrigada por trazer esse livro(já lançado há muito tempo que precisaria ser sempre lembrado)
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Este foi um livro que li ano passado,pois curto livros com temática diferentes, ainda mais relacionando a doenças e coisas do gênero.Achei a trama mais " superficial" sobre o tema, envolvendo a morte da amiga dela tbm. Mas ainda sim curti o livro.

    ResponderExcluir
  3. Oi Thuanne!
    Adorei conhecer esse livro, ainda mais com um tema tão sério desse...
    Parece excelente essa leitura, vou add aos desejados e torcer por uma oportunidade em breve.
    bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oi Thuanne.
    Já li esse livro há algum tempo e gostei bastante dele.
    Gostei bastante da escrita da autora, ela tem uma sensibilidade incrível para descrever os sentimentos e pensamentos dos personagens.
    É um livro que todos deveriam ler!
    Adoro essa capa!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Sempre tive interesse em ler este livro pelo tema abordado, até porque sou estudante de psicologia, e acredito que este um assunto na qual irei me deparar na minha caminhada. Pela sua descrição da escrita poética, e angustiante da autora e possível notar que somos levados a viver juntamente com a personagens esse momento tão doloroso que e conviver com um transtorno alimentar, principalmente quando que por mais que se negue, ainda sim esta ali presente a todo momento. Acredito que será uma leitura indispensável a todos.

    Venha participar do Top Comentarista e concorra o livro "O Maravilhoso Bistrô Francês": http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Thuanne!
    Eu tinha me interessado por Garotas de vidro por conta da capa que achei muito bonita, mas não imaginava que seria uma história tão complexa.
    Imagino que não deve ter sido fácil acompanhar a vida de Lia, mas é como você disse, o que ela passa é bem próximo da realidade, acredito que é um livro que todos deveriam ler, quantas vezes esse tipo de coisa acontece do nosso lado e não percebemos não é?
    Já coloquei na lista de desejados, e espero ler em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Parece ser uma leitura muito tensa, pois é um sofrimento muito grande para a personagem, essa angustia que ela deve sentir passa para o leitor, é daquelas historias que mexe com os nossos sentimentos e nos deixa refletindo sobre o assunto. É um tema muito importante pois nunca se sabe se vamos precisar conhecer mais sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  8. Thuane!
    Já tive oportunidade de ler esse livro logo que foi lançado e confesso que não gostei muito não, apesar de trazer um tema importante, principalmente para os adolescentes que se importantam apenas com a aparência.
    Achei o livro bem deprimente e sem grandes soluções.
    “Acredite que você pode, assim você já está no meio do caminho.” (Theodore Roosevelt)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  9. Parece ser um livro bem pesado e bem triste, e é uma doença que poucos tem conhecimento ou sabem mais a fundo, quero muito ler o livro e tenho certeza que ele merece ser lido,além de que podemos ver que certas brincadeiras nos trazem grandes consequências.

    ResponderExcluir
  10. Gosto desses livros que tem temas mais complicados porque acredito que fazem a gente refletir sobre coisas que talvez não iriamos pensar no dia a dia por não fazerem parte da nossa realidade. Acho que uma das coisas mais legais da leitura é que ela passa pra gente perspectivas diferentes, vidas diferentes, fazendo com que criemos empatia pelas pessoas de uma forma bem bonita. Tenho vontade de ler esse livro tem tempo e fui agora dar um olhadinha na Saraiva e vi que ele está até caro. Não sei quando vou ler, mas sua resenha definitivamente me lembrou que estou deixando um livro excelente passar. Imagino que deva ser bem complicado ler certas coisas, acredito que quem está passando por isso talvez nem devesse ler esse livro porque pode acabar tendo um efeito ruim.

    ResponderExcluir
  11. Oi Thuanne,
    Entendo você de deixar alguns livros passarem, as vezes a gente acaba criando outras prioridades de livros e deixamos boas obras guardadas na nossa estante. Faço muito isso também, mas vou tentar usar a sua tática de pegar logo os livros mais antigos.
    Que tema! Quase não vejo livros retratando anorexia e bulimia, que são temas extremamente importantes na sociedade.
    Nooossa eu só de ler a sua resenha fiquei com coração na mão pela Lia. Imagina que triste sofrer de um problema tão sério e ainda perder a amiga.
    Achei muito bom como a autora retrata também pelo que você falou, no fato dela contar calorias, sentir a vontade mas saber que vai vomitar, e de estar muito abaixo do peso e se achar gorda. Nunca passei por este problema mas em documentários que eu vi, as pessoas que tinham esse transtorno exibiam essas mesmas características.
    Realmente "Garotas de Vidro" não é um livro que se pode passar despercebido. Com certeza darei uma olhada nas livrarias e indicarei para uma conhecida que já superou este problema e hoje ela usa parte do seu tempo para divulgar mídias relacionadas para conscientizar as pessoas deste transtorno que está presente em muitos lares.

    ResponderExcluir
  12. Eu vi esse livro algumas vezes, mas nunca cheguei a parar para ler a sinopse. Ou, se cheguei, não lembro. A questão é que agora eu quero lê-lo. A maneira como a autora narra parece linda, meio triste e muito real, e... transtornos alimentares são sérios, não é uma brincadeira, uma frescura, algo que você para se quiser. Obrigada pela resenha, adicionando a minha lista para ler daqui a pouco.

    ResponderExcluir
  13. Oi Thuanne,
    ai quero muito ler esse livro, mas tô com medo.
    Transtornos alimentares são barra pesado, e por mais necessário que seja lermos sobre e ajudarmos quem está precisando por isso, é muito difícil ler algo assim.
    Mas tentarei.
    bjss

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.