O colecionador de memórias - Cecelia Ahern

Sinopse: Quando Sabrina Boggs tropeça em uma misteriosa coleção de bolinhas de gude que pertencia ao seu pai, percebe que não sabe nada sobre o homem com quem cresceu. É uma coleção valiosa e incomum – incomum se ela pensar no homem que sempre conheceu. No entanto, há algo real lá dentro, muito verdadeiro sobre seu pai, ou sobre a criança que ele fora.
Sabrina só tem vinte e quatro horas para descobrir os segredos do homem que ela pensava conhecer. Um dia para exumar memórias, histórias e pessoas que não sabia existirem. Um dia que a mudará para sempre.
Fazendo uma busca pelas memórias de seu pai, Sabrina persegue uma busca de identidade; os segredos que ela trará à tona irão mudar tudo o que dava por certo em sua vida. Mas se seu pai não é o homem que ela achou que fosse, quem é a própria Sabrina? (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora.
AHERN, Cecelia. O colecionador de memórias. Editora Novo Conceito, 2018. 272 p.


Conheci a escrita de Cecelia Ahern há alguns anos, por seu livro mais famoso: P.S. Eu te amo. Eu amei aquele livro, chorei e sofri e senti tanto que ainda guardo na memória alguns detalhes que foram, de fato, marcantes. Um tempo depois, tive a oportunidade de ler O presente, outro título da autora, uma leitura que não foi tão positiva quanto a primeira experiência, mas que trouxe boas mensagens. O colecionador de memórias está entre um e outro, não tão bonito quanto o primeiro, mas mais tocante do que o segundo.

O livro é narrado pela perspectiva de dois personagens, com capítulos intercalados entre eles, sempre em primeira pessoa. Não li a sinopse antes de começar a leitura, então não ficou muito claro para mim, a princípio, quando se tratava de um ou de outro; com o passar das páginas, percebi que um deles era mulher, o outro, homem, e que cada capítulo era iniciado com o título "Jogando bolinhas de gude" ou "Regras da piscina" para identificar o narrador. De início, também não notei a relação entre os dois personagens, mas logo ela é destacada: de um lado, Sabrina começa a buscar a verdade sobre seu pai, um homem que, ao que parece, ela não conhece de verdade; de outro, Fergus retoma as memórias de sua infância e adolescência, de seu casamento e dos motivos que o levaram a ocultar uma parte importante de si mesmo.

"Parece que quando me lembro de uma pessoa, não é na pessoa do dia a dia que penso, e sim nos momentos mais dramáticos ou nos momentos em que as pessoas mostraram mais do seu lado que geralmente fica oculto."

A escrita de Cecelia Ahern é fácil e envolvente e torna a leitura agradável e rápida. A autora não se preocupa em utilizar palavras difíceis ou mensagens cifradas, trata-se de uma escrita direta e acessível para leitores jovens ou mais experientes.

Por outro lado, essa linguagem fácil contrasta com as mensagens de peso trazidas pela autora. Acho tocante como Ahern consegue transformar histórias cotidianas em aprendizados, e isso acontece também nesse livro. Para isso, ela cria personagens comuns e verídicos, cheios de verdades só suas, mas bem representados pelos acertos e erros, pelos valores e imperfeições. São humanos.

Sabrina, por exemplo, está nitidamente cansada e entediada de seu dia a dia, mas na busca pelas verdades sobre o pai, faz descobertas sobre si mesma. Ela tinha tudo para ser uma personagem chata e irritante, mas consegui me conectar com seus sentimentos e, mesmo quando não concordava com ela, existia empatia. Também Fergus teve esses momentos, já que ele preferiu se ocultar e, mais tarde, não sabia mais como voltar a ser ele mesmo.

Acredito que a trama seja muito mais sobre perceber e assumir quem somos de fato, pois ela mostra que tentar mascarar isso só cria teias de mentiras que se tornam cada vez mais complicadas e, o que é pior, não nos faz feliz. Tentar se tornar algo diferente por alguém é deixar de lado o que nos torna nós mesmos, e ninguém consegue viver assim por muito tempo.

O colecionador de memórias não é aquele tipo de livro que traz grandes revelações ou reviravoltas, então quem espera algo assim provavelmente irá se frustrar. Ele é mais sobre reflexões do cotidiano, aqueles pequenos insights do dia a dia que nos transformam aos poucos, mas que, em somatória, fazem grandes diferença.
Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

16 comentários:

  1. Eu sempre namorei a capa dele (rs) Mas ainda não tinha lido nada (nem mesmo a Sinopse) sobre ele. Também conheço a autora através de "PS. Eu te amo" e tenho certeza que este livro me trará tão boas sensações quanto ele <3

    ResponderExcluir
  2. Olá Ju! Já fiquei bastante interessada em ler esse livro pela autora, gosto muito da escrita da Cecelia Ahern, também amei P.S. Eu te amo, essa resenha me deixou ainda mais curiosa em conferi essa história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Também sou fã do trabalho da autora, mesmo a conhecendo pouco. Namoro este livro desde seu lançamento, primeiro pela capa, que para mim, é maravilhosa e outra por ser da Novo Conceito, editora que amo de paixão e sempre traz grandes lançamentos.
    Esse jeito de trazer uma leitura mais real, com personagens que poderiam simplesmente ser um de nós,é fascinante e mexer com lembranças sempre trazem marcas que ficaram ou que aparecerão!
    Lista de desejados!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Ju!
    Tenho interesse em ler esse livro, ainda mais pq procuro um leitura mais leve e este parece ser bom, já está nos desejados.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ju.

    Percebe-se que todas as descobertas a cerca do seu pai, não será tão fácil para a Sabrina, até porque ela poderia mudar a visão em relação ao seu pai.

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju,
    Li apenas P.S. Eu te amo da autora, mas foi o suficiente para me apaixonar pela escrita da Cecelia Ahern. Tenho interesse em ler os demais livros da autora, e esse lançamento me chamou a atenção, essa sinopse é muito intrigante. Que peculiar a forma que a autora conduziu os capítulos, não identificando os personagens, mas sim, usando o titulo para induzir o leitor a descobrir quem era o narrador da vez.
    Acredito que será uma leitura prazerosa, e mesmo que de uma forma sutil, traz todas essas reflexões geradas pela história.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Ju!
    Primeira resenha que leio deesse livro e estava ansiosa por saber do que se tratava, já que li vários livros da autora e gosto muito, inclusive a forma como escreve, de fácil entendimento, porém sempre trazendo algo inovador.
    Desejo um ótimo final de semana e um feliz dia da mães abençoado!
    “Moral é o que te faz sentir bem depois de tê-lo feito, e imoral o que te faz sentir mal.” (Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MAIO – 4 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  8. Oi Ju.
    Só li um livro da autora, Simplesmente acontece, e adorei a escrita. É realmente fluida e viciante.
    Não me interessei muito pela sinopse de O colecionar de memórias. Parece uma história ok, nada muito profundo.
    Adoro narrativas em primeira pessoa e alternadas. Acho que deixa a leitura bem dinâmica. Acho que no início deve ser um pouco identificar quem está falando, mas depois de se acostumar com a "voz" dos personagens, fica mais fácil distinguir quem é o narrador.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Não sou muito fã de historias de cotidianos, mas quem sabe esse me surpreenda, gostei pela personagem não ser chata e se auto descobrir, parece ser uma leitura que mostra mais o lado humano com nossos altos e baixos. E pelas mensagens que sempre deixa o leitor refletido daria uma chance ao livro.

    ResponderExcluir
  10. Fiquei bem interessa na história, e curiosa de como vai ser o desfecho ,sua resenha ficou boa demais,Parabéns..

    ResponderExcluir
  11. Eu acho a escrita da autora encantadora, ela consegue ser bem tocante.
    Não conhecia o livro, mas não é uma leitura que estou acostumada mas parece ser uma boa trama para sair do comodismo e ler algo diferente.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  12. Eu já li todos os livros da Cecilia que tenho, todos publicados aqui no Brasil, a escrita dela é muito gostosa e os temas interessantes, eu gosto muito quando a narrativa é feita pelos dois personagens e gosto mais ainda de um livro que nós faz refletir.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ju!
    Me apaixonei pela capa do livro quando lançou, mas resenha é a primeira que leio e confesso que preciso ler o mais rápido possível este livro.
    Interessante o leitor ter que descobrir quem narra cada capítulo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Confesso que senti um pouco de conexão com o livro, embora ainda não tenha lido. Conexão a exemplo de fosse eu no lugar da Sabrina... Sei la. As descobertas sobre o pai que ela descobre e vê que não o conhecia de verdade embora estivesse com ela. Quero muito ler! Creio que vou gostar muito.

    ResponderExcluir
  15. Gostei muito da sua resenha, parece ser um livro lindo e com grandes reflexões!
    Eu amei P. S. Eu te amo, é um dos meus prefes da vida, mas quando li outros da Cecelia, não gostei.
    Fiquei meio receosa de ler os últimos lançamentos dela, porém, depois de ler sua resenha, fiquei bem ansiosa pra ler O Colecionador de memórias!
    Já quero.
    bjs

    ResponderExcluir
  16. Pela capa imaginava um livro mais juvenil. Gosto muito de leituras que abordam situações comuns de nossa vida e que nos fazem pensar sobre como lidamos com elas.
    Patricia Queiroz

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.