Contagem Regressiva - Ken Follett

Sinopse: Certa manhã, um homem acorda no chão de uma estação de trem, sem saber como foi parar ali. Não faz ideia de onde mora nem o que faz para viver. Não lembra sequer o próprio nome. Quando se convence de que é um morador de rua que sofre de alcoolismo, uma matéria no jornal sobre o lançamento de um satélite chama sua atenção e o faz desconfiar de que sua situação não é o que parece.
O ano é 1958 e os Estados Unidos estão prestes a lançar seu primeiro satélite, numa tentativa desesperada de se equiparar à União Soviética, com seu Sputnik, e recuperar a liderança na corrida espacial.
À medida que Luke remonta a história da própria vida e junta as peças do que está por trás de sua amnésia, percebe que seu destino está ligado ao foguete que será disparado dali a algumas horas em Cabo Canaveral.
Ao mesmo tempo, descobre segredos muito bem guardados sobre sua esposa, seu melhor amigo e a mulher que ele um dia amou mais que tudo. Em meio a mentiras, traição e a ameaça real de controle da mente, Luke precisa correr contra o tempo para conter a onda de destruição que se aproxima a cada segundo. (Skoob)

Livro recebido em parceria com a Editora.
FOLLETT, Ken. Contagem Regressiva: três dias que poderiam mudar o cenário político mundial. Editora Arqueiro, 2018. 320 p.


Não fazia ideia que os filmes de Os Pilares da Terra eram baseados em livros de Ken Follett quando os assisti, lá em 2010, antes mesmo que Hayley Atwell e Eddie Redmayne se tornassem conhecidos como são hoje. Desde que soube disso, porém, quis ler algo do autor, mas a oportunidade só surgiu agora, com Contagem Regressiva, publicado este ano pela Editora Arqueiro.

Ironias à parte - ou não -, o livro foi lançado no Brasil bem próximo às comemorações dos 60 anos do lançamento do primeiro satélite espacial americano, o Explorer I. A obra começa com uma nota histórica que conta sobre o adiamento do lançamento, em duas noites consecutivas, por razões que aparentavam não ser realísticas. Até achei que o autor tinha criado essa nota para dar o start em sua obra, então fui buscar fontes seguras que divulgassem essa informação, e encontrei nessa matéria publicada no blog da NASA. Isso significa que Ken Follett criou todo um enredo fictício a partir de uma verdade e, para ser justa, trata-se de um enredo viciante.

Na trama, Luke acorda sem memória nenhuma sobre sua vida, ainda que consiga lembrar de outros conhecimentos não biográficos, como matemática, história e inglês. A princípio, não sabe nem mesmo seu nome, mas tudo parece querer lhe convencer de que é um morador de rua. O problema é que algumas coisas não fazem sentido para ele, então ele resolve descobrir quem ele é e porque perdeu a memória.

"O que havia acontecido na noite anterior? Não conseguia lembrar.
O medo histérico começou a retornar quando percebeu que não conseguia se lembrar de nada."

A trama construída por Ken Follett é absolutamente viciante. Assim como Luke, o leitor também não faz ideia de como o protagonista foi parar naquela situação, então os detalhes são descobertos junto com o personagem. É instigante acompanhar as relações feitas por Luke, detalhes que ele descobre sobre si mesmo para continuar sua busca. Afinal, ele não sabe nada sobre si mesmo, então de que ponto ele poderia partir para buscar algo? Essas maquinações o levam de detalhe em detalhe, até finalmente chegar a pessoas que podem auxiliá-lo, amigos do passado.

Os capítulos se intercalam, tanto entre os personagens, quanto em relação à época. No que se refere ao ponto de vista, o texto vai além da visão de Luke, pois mostra também outros personagens, como Elspeth, Anthony e Billie, sempre em terceira pessoa. Além disso, enquanto alguns capítulos se passam em 1958, ano do lançamento do satélite espacial americano, em plena Guerra Fria, outros retornam para 1943 para mostrar os personagens quando jovens, ainda em Harvard, na época da Segunda Guerra Mundial, e como a amizade entre eles surgiu.

"Mais uma vez Luke pensou se estava imaginando coisas. Tinha acordado num mundo desconcertante onde qualquer coisa podia ser verdade."

Embora mostre a visão de todos eles, ainda assim é difícil saber suas intenções. É quase como se eles não gostassem de admitir seus defeitos nem para eles mesmos, o que impede de saber quem está de que lado. O próprio Luke pode ser o "vilão", pois ele nem lembra o que fez até perder a memória. Essa construção é quase enlouquecedora, porque se quer logo compreender o que aconteceu, o que nos faz devorar as páginas para desvendar o mistério.

Contagem regressiva é um romance envolvente e carregado de adrenalina. O livro é repleto de cenas de ação, entremeado por espionagem em plena Guerra Fria e conta ainda com romance e traição. É aquele tipo de livro que diverte e te faz procurar as pistas junto com o personagem e, quando se percebe, já chegou ao fim.

Ju - Conjunto da Obra
Ju - Conjunto da Obra

Apaixonada pela leitura desde a infância, tantos livros lidos que é impossível quantificar. Alguém que vê os livros como uma forma de viajar o mundo e lugares mais incríveis que possam ser criados pela imaginação, sem precisar sair do lugar. Tem o blog como uma forma de dividir experiências e, principalmente, as emoções que as leituras despertaram, para compartilhar idéias e aproveitar sugestões de leitura, envolvendo mais e mais pessoas em um mundo onde a imaginação não tem limites.

12 comentários:

  1. Oi, Ju.

    Por os personagens que compõem o livro não serem totalmente confiáveis, traz instabilidade para a história e acaba sendo uma parte e peça fundamental em seu desfecho. Formalizando assim, um enredo intrigante e repleto de descobertas.

    Nunca li nenhum livro do Ken Follett, então, talvez, esse livro seja a oportunidade perfeita para reverter isso. Gostei do enredo.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ju!
    Ainda não conheço a escrita de Ken Follet mas pelo que acompanho parece ser bacana, li mais comentários positivos do que negativos sobre obras dele, espero ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Lendo a resenha deste livro, já imaginei a adaptação no cinema! Amo cenários assim, de ação, suspense e claro, estas dúvidas de onde o personagem surgiu e para que.
    Mesmo que livros com cenários políticos não me agradem muito, a escrita do autor é sempre prazerosa demais e a gente não consegue soltar o livro antes de saber dos acontecimentos.
    Vai para a lista de desejados este novo trabalho do autor.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. s livros do Ken Follet são incríveis. Muito bem escritos e ambientados, sempre trazendo temas com assuntos históricos super interessantes. Esse eu ainda não li, mas tenho ouvido boas coisas sobre ele e eu tenho certeza que quando eu for ler eu vou gostar muito. Adorei a sua resenha e poder conhecer um pouco mais sobre essa obra.

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nenhum livro do autor, mas tenho um aqui em casa. Adoro ação e mistério, então já fiquei interessada, é intrigante esse personagem, afinal ele não sabe nada sobre si mesmo e nem nós leitores, fica até difícil torcer por ele como foi dito e se for o vilão rs, achei isso bem interessante deixa a leitura muito envolvente.

    ResponderExcluir
  6. Ju!
    Uma delícia poder ler os liros do autor, não?
    Ele tem uma ficção tão bem elaborada em cima de fatos reais que ficamos mesmo encafifados, achando que é tudo da cabeça dele, mas não, mistura realidade com fantasia bem escrita e elaborada.
    Bom final de semana!
    “.Aquilo que eu não sei é a minha melhor parte! “ (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Olá, Ju.
    Ainda não i nenhum livro do autor.
    Mas gostei do enredo principalmente pelos fatos históricos, deve ser maravilhoso ler o livro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Ju,
    Faz anos que desejo ler algo desse autor, já tenho uma lista imensa de títulos dele, e a cada lançamento de um novo livro fico ainda mais desesperada para conhecer essa escrita viciante.
    Já estava de olho nesse livro desde o lançamento, mas agora fiquei ainda mais ansiosa para ler, pois é o tipo de leitura que adoro. Uma trama eletrizante o suficiente para se devorar as paginas, com um enredo fictício sendo desenvolvido com fatos realistas e com personagens muito bem construídos e misteriosos. Quero acompanhar a jornada do Luke nesse quebra-cabeça para recuperar a sua memória.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Ju,
    Que viagem deve ser conhecer esses personagens... Nunca tive vontade de ler os livros do autor porque olhava para as capas e nunca me agradaram, que arrependimento com sua resenha, por mais que meu conhecimento sobra a época seja pouco, essa mistura de ficção com fatos reais me agrada muito. Vou colocar o livro na listinha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Já ouvi tanto falarem nesse livro do autor mas nunca me aventurei vi tanta resenha positiva sobre o livro dele chamado o voo da libélula mas me falta realmente coragem

    ResponderExcluir
  11. Eu nunca li nada do autor, mas conheço muitos fãs da escrita dele. O que mais me chama atenção nos livros do Follet é que eles sempre tem um contexto histórico verídico por trás da narrativa central, que embasa e dá consistência ao enredo e aos personagens, que são, na grande maioria, complexos e bem construídos. Acho que essa é uma receita difícil de não funcionar com os mais variados tipos de leitores.

    ResponderExcluir
  12. Olá Ju!

    Que incrível, nunca li nada do autor e também não tinha ouvido falar nesse livro, mas adorei, apesar de não ser o gênero que mais chama minha atenção curti bastante tudo que você disse sobre ele, espero poder ler logo.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.