Tênis ou Tiaras - Grace Dent

Sinopse: Olha só, para começo de conversa, eu nem queria um diário. Passei seis meses usando a palavra “iPod” em todas as minhas frases, e para quê? Mas até que foi bom: esse ano definitivamente foi fora do comum... Tudo começou no Festival de Inverno da minha escola. Juro que tudo aquilo era para ser uma piada inocente, mas acabou com uma pancadaria generalizada e com a “Academia de Encrenqueiros” nos jornais – de novo. Aí minha melhor amiga se apaixonou pelo Bezzie. E, de repente, Carrie ficou totalmente chata, e só pensa em Bezzie pra cá, Bezzie pra lá... Aí arrumei um emprego na Comidas Tilak, que faz comida oriental congelada, e agora eu fico fedendo a kafta de carneiro o tempo todo. E nem me deixaram passar um gloss, porque é contra as normas da empresa. Aí minha irmã, Cava-Sue, brigou com a minha mãe, saiu de casa e não dá notícias há dois dias. Depois que Cava-Sue começou a estudar teatro, está muito chata e só escuta bandas esquisitas e “não-comerciais”. Mas qual a graça de ouvir uma banda que ninguém conhece? (Skoob)
DENT, Grace. Tênis ou Tiaras. Diário de uma Encrenqueira #1. Galera Record, 2010. 240p. 


Shiraz Bailey Wood mora no condado de Essex próximo a Londres, em um distrito chamado Goodmayes. Ela quase sempre fala o que pensa, por isso acha que se daria bem na TV e tem vontade de entrar no Big Brother, e não quer entrar numa faculdade. Os amigos dela também não querem, não é à toa que a escola deles teve a nota mais baixa nos exames. Mas isso não é só por eles serem vagabundos e preguiçosos, a própria mãe dela acha que faculdade é pra preguiçosos que preferem gastar dinheiro estudando em vez de trabalhar duro. A irmã dela, a Cava-Sue (eu sei, o nome dela, e dos outros é muito estranho), não ajuda a melhorar essa imagem, já que é uma tremenda hipster que diz que "prefere escutar bandas que ninguém conhece porque isso é original" e finge não conhecer as músicas comerciais. Essa citação abaixo define tanta gente.

"É muito estranho porque, quanto mais coisas inteligentes Cava-Sue aprende na faculdade, mais superficiais ficam as coisas que ela fala."

Essa coleção em inglês se chama Diary of a CHAV, CHAV é tipo um estereótipo britânico de pessoas "encrenqueiras", mas que usam roupas de marca tipo Adidas e bonés/capuz, comem no MC Donald's, poderia ser tipo as "maloqueiras" do Brasil. Ou pessoas do funk. Mas não julguem a Shiraz, ela é bem legal. A verdade é que ela e a melhor amiga, Carrie, sofrem o maior preconceito por andar de casaco com capuz (quando eu li achei bizarro) como se elas fossem delinquentes. Pra ajudar, ainda tem o fato delas estudarem na Academia Mayflower, que está sempre nos jornais como "Academia de Encrenqueiros Mayflower". Não que elas sejam santas também, a Shiraz foi responsável por uma confusão, mas não chega no nível das CHAV, que batem nos outros sem motivo nenhum. Por isso eu nem acho que ela seja uma, aliás, ela só se encaixa na roupa, e acho muito chato julgar as pessoas por isso.

Encontrei uns errinhos de edição, do tipo o nome da personagem "Uma" com letra minúscula, e às vezes dizia que ela tava no 1º ano do Ensino Médio, outras no 8º e aí quando ela mudou de série, ela disse que agora tava no 9º, então não entendi bem como são as séries por lá.

O livro é superdivertido, eu copiei várias passagens. A graça dele é essa mesmo, já que o livro é narrado como diário, então não chega a ter um clímax. Não acontece uma coisa bombástica que te deixa curioso pra ler, o máximo que pode te deixar assim são algumas coisas na sinopse que demoram bastante pra acontecer (aí vai de você ler a sinopse ou não). Eu achei que esse livro pode ser tipo o Querido Diário Otário adolescente q acho que quem gostou, pode gostar desse também. Ele é bem curtinho e a leitura flui muito. Eu comecei numa noite e terminei no dia seguinte, mas dá para terminar no mesmo dia tranquilamente.

Uma coisa que eu amei no livro são o tanto de referências dele. Adoro livros que citam músicas e tal. Shi adora hip hop (como é fácil de prever) e R&B e odeia Westlife, uma boyband britânica que eu até gosto, o que me faz supor que ela não é fã de músicas melosas. Ela colocou um rap pesado como toque de celular da mãe dela e eu fico imaginando a reação das pessoas quando toca e se chegam a ouvir as partes mais explícitas. Esse é um dos exemplos de como a Shiraz é engraçada. Também citam os 500 programas da Inglaterra que eu não conheço nenhum, mas tá valendo, e redes sociais, principalmente o Orkut, saudade. Sim, eu sei, elas combinam mais com Orkut que Facebook ou qualquer outra, só ver o perfil delas kk. A Carrie diz pra Shi no perfil dela "Academia de Enquenqueiras 4 ever" kkkk Elas são completamente o tipo de pessoa que escreveria "mal te conheço, mas já te considero pacas" em um depoimento. O Orkut tinha aquela coisa mais "brega", sei lá, né? E esse é o único motivo que eu imagino pra elas usarem Orkut (se elas usarem, porque podem ter mudado o nome da rede social na edição brasileira) porque que eu saiba o Orkut só fez sucesso mesmo no Brasil e na Índia.

Enfim, super recomendo para quem quer uma leitura leve e divertida. A coleção tem mais 4 livros lançados, mas aqui no Brasil só tem mais 2,  infelizmente.
Mah
Mah

Mais uma universitária tentando sobreviver, e como escrever (por prazer) me acalma, resenhas são uma terapia pra mim. Assim como doces, séries e ler.

15 comentários:

  1. Vou confessar que nem sabia da existência deste livro e mesmo achando o enredo bem juvenil, acho que é super importante pegar uma leitura assim, de vez em sempre.
    Se jogar num livro com personagens jovens,que nos fazem sempre lembrar de alguém que já convivemos no passado é muito gostoso.
    Vai para a lista de desejados.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Mah.

    O livro parece ser um pouco bobinho... Em contra partida, a Shuraz e sua personalidade já movimentam a trama.

    De forma sublime, nota-se que a autora conseguiu retratar bem essa fase adolescente.

    Mas, não chamou minha atenção.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Não conhecia esse livro, curto muito uma leitura leve e divertida, essa resenha me deixou bastante interessada em conferi essa história.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia nenhuma obra da autora, mas gosto de ver que é uma leitura leve e bem humorada. Acho interessante livros narrados como diário, dá a impressão que o personagem senta para conversar com a gente.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde Mah,

    Esse é mais um livro que fico conhecendo aqui, pela sua resenha parece bem legal e divertido, vou adicionar na minha lista...ótima dica e resenha...bjs.


    https://devoradordeletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Achei bem legal, dá meio que uma saudade da epoca de escola, em meio das bizarrices das pessoas, sobre faculdade, musicas, orkut, facebook, pessoas achando outras preguiçosas pelas notas, enfim. Me despertou muita vontade de ler, ainda mais por ser curto e parecer uma leitura que flui muito bem.

    ResponderExcluir
  7. Oi Mah,
    Não conhecia essa coleção de livros, e confesso que não sei se leria. A leitura parece ser leve e divertida, com personagens engraçados e uma trama juvenil, dando uma sensação de nostalgia da época da escola - e do bom e velho Orkut kkk. Porém, não senti aquela empolgação em ler, mas é uma boa indicação de leitura para a minha prima.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Também tenho saudades do Orkut rs. Embora a leitura seja divertida coisa que adoro, não me chamou a atenção, pois não tem grandes acontecimentos, parece ser uma leitura bem levinha. Também gosto muito quando tem referencias nas historias, mas sei lá parece que falta algo nesse livro.

    ResponderExcluir
  9. Mah!
    Muito bom poder livros divertidos e que nos entretem.
    Talvez não seja o tipo de livro que leia, mas quem sabe, porque gostei dos nomes diferentes e das citações musicais, mas não é uma prioridade.
    “Sou uma só. (...) Sou um ser. E deixo que você seja. Isso lhe assusta? Creio que sim. Mas vale a pena. Mesmo que doa. Dói só no começo.” (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO - 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  10. Olá Mah!
    Não conhecia esse livro ainda, amei essa capa e sinopse, eu curto mto leituras leves e com toda ctz este livro vai para minha listinha tbm, adorei!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Oi Mah,
    Ah, sdds Orkut, que época boa, rs. Achei o livro exatamente o que disse, leve, é o tipo ótimo para sair de uma ressaca literária, e vamos ser sinceras, a protagonistas parece narrar bem o que muitos adolescentes vivem nessa fase não é?
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi, Mah
    Tenho saudades do Orkut, várias lembranças. Não conhecia o livro, e pelo jeito a personagem que move a trama é Shiraz.
    Mas não senti curiosidade em ler o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Não sabia sobre essa coleção de livros mas o título da entender que seria algo parecido com o Diário da Princesa de Meg cabot mas não fiquei tão interessada no livro A sinopse não me chamou atenção e por mais que sua resenha tenha sido boa acho que não é o tipo de leitura certa para mim

    ResponderExcluir
  14. Quando eu era mais nova adorava ler livros no estilo diário, acho que cheguei a zerar os da biblioteca da escola hahaha pela resenha esse parece ser bem divertido, gosto de livro assim pra ler entre duas leituras mais complexa, vou aproveitar e colocar ele na minha lista pra isso, ameiii.

    ResponderExcluir
  15. Eu não conheço nenhum pouco dessa cultura da qual o livro fala, mas não me interessei muito pelo enredo dele. Livros em forma de diário só me atraem quando trazem uma história que realmente me toca, o formato não faz muito o meu gênero preferido de leitura. Mas acho que vale a pena pelas cenas divertidas que proporciona.

    ResponderExcluir

Agradeço muito sua visita e peço que participe do blog, deixando um recadinho. Opiniões, idéias, sugestões, são muito importantes para fazer o blog cada vez melhor!
Assim que possível, retribuirei a visita.

Beijos, Julia G.